Publicado 15 de Julho de 2013 - 8h26

Por Milene Moreto

Sede da Delegacia de Narcóticos de São Paulo (Denarc)

Érica Dezonne/AAN

Sede da Delegacia de Narcóticos de São Paulo (Denarc)

Uma operação conjunta entre a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo e o Ministério Público (MP) desmontou uma quadrilha de policiais do Departamento Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Denarc). Após investigação que começou ainda em 2012, foram identificados ao menos 13 policiais de São Paulo que cobravam propina de grupo de traficantes que atuava no bairro São Fernando, em Campinas.

Até o final da manhã, sete policiais, entre eles dois delegados, foram presos. Uma quantia de R$ 300 mil era recebida anualmente pelos policiais e uma mensalidade de R$ 30 mil para a facilitação do tráfico na região de Campinas. Dois mandados de prisão de policiais de Campinas foram cumpridos.

O Delegado da Corregedoria da Polícia Civil de Campinas, Sander Malaspina, na manhã desta segunda-feira (15) fez buscas no 10º Distrito Policial, no Jardim Guarani, em cooperação com as investigações da Capital. Em São Paulo, corregedores da polícia civil e promotores do MP faziam apreensões de documentos e materiais na sede da Denarc. 

Foram expedidos mandados de prisão pelo juiz da 6ª Vara Criminal, José Guilherme Di Rienzo Marrey. As investigações são feitas pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de São Paulo e Campinas.

Segundo o promotor do Gaeco, Amauri Silveira Filho, serão cumpridos no total mais de 20 mandados entre busca e apreensão. A operação que começou nas primeiras horas do dia segue na tarde desta segunda-feira em uma nova etapa ainda não divulgada. Ainda segundo informações do promotor, os policiais são acusados de vários crimes entre eles corrupção, concussão e tortura. "Foram feitos esses pedidos de prisão temporária (dos policiais) para dar fluidez as investigações que devem durar 30 dias. Essa foi a primeira etapa na qual recolhemos materiais para dar suporte e continuar com os trabalhos", explicou. 

Entre os detidos, o supervisor da Unidade de Inteligência do Denarc (SP) Clemente Castilhone Junior.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que "não compactua com qualquer tipo de desvio por parte dos policiais da instituição".

Segue nota da SSP na íntegra:

Em operação conjunta da Polícia Civil de São Paulo e do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP), a Corregedoria da Polícia Civil cumpre hoje mandados de prisão e de busca e apreensão contra policiais, na Capital e e na região de Campinas.

Os mandados foram expedidos pela Justiça de Campinas, em investigação envolvendo policiais e ex-policiais do Denarc (Departamento de Investigações Sobre Narcóticos).

A Corregedoria da Polícia Civil já adotou todas a providências legais cabíveis, instaurando procedimentos para apurar a conduta individual de cada policial envolvido na investigação.

A Polícia Civil de são Paulo não compactua com qualquer tipo de desvio ou pratica de ilícito por parte do policiais da instituição.

Foto: Patrícia Azevedo/AAN

Fachada do 10º Distrito Policial de Campinas, no Jardim Guarani

Fachada do 10º Distrito Policial de Campinas, no Jardim Guarani

Com informações de Patrícia Azevedo/ AAN 

Escrito por:

Milene Moreto