Publicado 14 de Julho de 2013 - 5h00

Campinas completa hoje 239 anos da primeira missa celebrada em uma capela improvisada pelo Frei Antonio de Pádua, que marcou a fundação da Freguesia Nossa Senhora da Conceição das Campinas de Mato Grosso. Desde então, escreveu-se uma saga de conquistas, revezes e disputas, que ao final colocam o município no topo de uma escala de excelência que ainda persiste, fruto de um passado rico em realizações que criaram o amálgama de todos os campineiros e daqueles que fizeram desta terra o seu chão.

Uma grande história é feita por grandes gestos e seus privilegiados personagens, que compõem um encadeamento de fatos e situações que constroem um legado único de experiências que se somam para escrever em letras maiúsculas a saga de uma comunidade, de um povo, de uma nação.

Mesmo com a convicção de que nada acontece por acaso e sempre se pode identificar um fio condutor em todas as vivências, alguns casos se sobressaem pela unicidade, pelos fatores de emoção envolvidos, pela sensibilidade que transpassa gerações e deixa lições edificantes.

Assim é a história das pessoas e das cidades, que se confundem em uma só, como corpos vivos que compartilham os mesmos espaços e condições para resultar na vivência em comunidade, no amor à terra, no respeito ao próximo.

Parte dessas histórias de doação, de experiências individuais, de dedicação e entrega está contada no suplemento especial comemorativo que o Correio Popular faz circular como parte desta edição. São exemplos marcantes de vidas que elevaram o nome de Campinas ao panteão do respeito que se deve a seus personagens mais famosos ou anônimos, que guardam a devida importância com seus ensinamentos, sua singularidade e vivência únicos.

Ao retratar as pessoas que fazem Campinas como ela é, ali está uma amostra de cada um dos 1,2 milhão de habitantes, que se destacam pelo seu trabalho, pela sua contribuição comunitária, pela sua atuação política, pelo esforço de preservação, pela esperança que se irradia no olhar de uma criança.

Então, pode-se perceber que esta Campinas mais que bicentenária é forte, capaz de renascer como a fênix de suas maiores tribulações, de superar os maiores obstáculos com o impulso de suas gerações orgulhosas, porque sabem que, acima dos empecilhos, repousa uma alma de tradição, cultura, beleza, cordialidade, paz e desejo de progresso.

Parabéns, Campinas!