Publicado 11 de Julho de 2013 - 17h57

Por Correio.com

Edson Moura Júnior (à esq.) substituiu o pai na véspera da eleição

Cedco/RAC

Edson Moura Júnior (à esq.) substituiu o pai na véspera da eleição

A juíza Marcia Yoshie Ishikawa publicou nesta quinta-feira (11) um edital determinando o reprocessamento dos votos do prefeito Edson Moura Júnior (PMDB) e a sua diplomação na terça-feira (16) em Paulínia. Moura foi o mais votado nas eleições de 2012, mas teve sua candidatura contestada. Ele substituiu o pai, que era o candidato do partido, um dia antes das eleições.

Edson Moura, que já foi prefeito de Paulínia e responde a processos por irregularidades administrativas, manteve sua candidatura durante toda a campanha. No final, temendo ser cassado pela Lei da Ficha Limpa, ele desistiu e colocou o filho como candidato. Na urna eletrônica, por falta de tempo, foram mantidos seu nome e sua foto, o que poderia confundir o eleitorado.

A decisão da Justiça Eleitoral é resultado da ratificação publicada na quarta-feira pela presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Carmen Lúcia, da decisão do colegiado, que foi de 5 votos a 1 a favor de Moura Júnior. Esse era o último tramite que faltava na instância máxima da Justiça Eleitoral para que o peemedebista fosse declarado o novo prefeito. Não cabe recurso.

Com informações de Milene Moreto/AAN 

Escrito por:

Correio.com