Publicado 11 de Julho de 2013 - 8h38

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) estuda aumentar o número de vagas do curso de medicina seguindo as recomendações do programa do governo federal. Apesar das universidades estaduais não serem beneficiadas oficialmente pelo programa, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que o governo articula com a Secretaria Estadual da Saúde ampliar o número de vagas oferecidas pela Unicamp. Para tanto, informou Padilha, seria usada a estrutura do Hospital Regional de Piracicaba, que deve começar a funcionar em 2014. “O secretário estadual da Saúde, Giovanni Cerri, tem interesse que a Unicamp possa expandir o número de vagas de medicina, não só aproveitando o campus que tem em Campinas e o Hospital de Sumaré, mas também o novo Hospital Regional de Piracicaba. Ele quer aproveitar a estrutura dos hospitais para expandir as vagas de graduação”, afirmou.

A Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp informou que irá analisar a proposta do programa.

“E somente após isso emitirá opinião sobre o projeto”, diz nota enviada à imprensa.

Segundo o plano do governo, serão criados no Sudeste 3.185 vagas em cursos de graduação e 5.177 em residência médica nos próximos anos. De acordo com a proposta, as novas vagas serão abertas em 117 cidades. O objetivo é dar prioridade a regiões mais carentes, como Norte e Nordeste.

De acordo com o Ministério da Educação, a abertura das vagas será feita de acordo com alguns critérios, como o tempo de credenciamento da instituição e os indicadores de qualidade.