Publicado 11 de Julho de 2013 - 22h55

Manifestantes caminharam pelas ruas do Centro e se concentraram em frente a Câmara Municipal

Guto Silveira/Gazeta de Ribeirão

Manifestantes caminharam pelas ruas do Centro e se concentraram em frente a Câmara Municipal

Cerca de 150 trabalhadores participaram na tarde desta quinta-feira (11) de uma passeata pelas ruas de Ribeirão Preto, em adesão ao dia nacional de luta. Na cidade, além da pauta nacional de reivindicações, os manifestantes, a maioria sindicalistas e representantes de centrais sindicais, pedem a criação de duas secretarias municipais pela Prefeitura Municipal: Indústria e Comércio e Emprego e Renda.

Os manifestantes se concentraram no Centro da cidade e caminharam até a Câmara Municipal, depois de passarem pela Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto (Acirp) e Prefeitura Municipal, onde foram entregues ofícios com reivindicações. Na Câmara, eles tiveram que esperar pelo fim da sessão para fazer uso da tribuna o que levou a alguns protestos dos presentes.

O vereador Beto Cangussú (PT), que também é bancário, discursou o tempo todo sob vaias de integrantes da diretoria do Sindicato dos Bancários. Já depois de um representante dos manifestantes terem utilizado a tribuna, a discussão esquentou entre o vereador e dois integrantes do protesto. Eles acusaram o vereador de furar greve e ele respondeu que conhece o acusador “de outros carnavais”, afirmando ser ele um pelego no sindicato. No Pinga Fogo, Beto Caangussú voltou ao assunto.

Pelos manifestantes, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Edmilson Domingues, usou a tribuna da Câmara para explicar as reivindicações, notadamente as locais, como a criação das secretarias que, para ele pode representar mais investimentos na qualificação da mão-de-obra. Ele também pediu a atenção dos vereadores para todas as demandas. “Se elas não forem locais, os vereadores podem leva-las a outras instâncias”, afirmou.