Publicado 07 de Abril de 2013 - 19h58

Por Renata Rondini

PONTE

Leandro Ferreira/AAN

PONTE

Gilson Kleina deu fim à invencibilidade da Ponte Preta no Campeonato Paulista. Na tarde de domingo (7), no Estádio Moisés Lucarelli, sob o comando do treinador que até setembro do ano passado comandava a equipe de Campinas), o Palmeiras bateu a Macaca por 2 a 1, pela 17º rodada. Nesta temporada, após 17 partidas (16 pelo Estadual e uma pela Copa do Brasil), o elenco alvinegro voltou a sentir o gosto amargo da derrota.

Apesar do resultado negativo, a Ponte Preta, que já tinha a vaga para as quartas de final assegurada, continua na vice-liderança do Paulistão. Já o Verdão carimbou a passagem para a próxima fase.

Que ia dar jogo bom, ninguém tinha dúvida. Ponte Preta e Palmeiras fizeram um jogo corrido, de marcação forte e boas emoções na tarde de ontem no Majestoso. Logo aos 3’, o Verdão abriu o placar. Wendel recebeu de Caio e cruzou na medida para Tiago Real, que se abaixou dentro da área e cabeceou no canto esquerdo de Edson Bastos.

O Palmeiras optou pela marcação forte e individualizada. E após o gol no início, se fechou ainda mais. Com o espaço limitado para jogar, os jogadores da Ponte ficaram nervosos e ansiosos demais para encontrar o gol. Aos 10’, Bruno Silva arriscou um chute de fora da área, mas a bola bateu no travessão. Apesar da falta da falta de qualidade técnica, o gol trouxe tranquilidade ao Verdão.

Com a marcação individualizada, Ramirez apareceu pouco no primeiro tempo, mas quando pintou na área foi preciso. Do meio de campo, Baraka lançou na esquerda para Uendel, que matou no peito e cruzou na pequena área. Ramirez dividiu com o goleiro Fernando Prass e mandou para o fundo da rede, deixando tudo igual aos 42’.

A Macaca retomou a sua tranquilidade rotineira no segundo tempo e passou a ter mais posse de bola. O Palmeiras ficou na posição defensiva, optando por sair apenas no contra-ataque. Apesar de toda pressão alvinegra, quem chegou ao segundo gol foi o Verdão. Aos 28’, Juninho fez o cruzamento, que o zagueiro Ferron não conseguiu interceptar, Leandro dominou no meio da área e bateu firme.

A Macaca buscou desesperadamente o empate, mas de forma nervosa. Para piorar, aos 42’, numa disputa de bola entre Cleber e Ronny, o zagueiro da Macaca foi expulso. O árbitro alegou agressão de Cleber (cabeçada), que, ao sair de campo, afirmou não ter feito nada e reclamou de Luiz Vanderlei Martinucho.

O juiz de ontem é o mesmo que não expulsou Danielzinho no lance do carrinho por trás em Ferrugem na partida com o São Caetano. O volante pontepretano teve uma lesão grave no tornozelo.

Escrito por:

Renata Rondini