Publicado 07 de Abril de 2013 - 21h35

Nunes divide bola com Lúcio, que fez o primeiro para o São Paulo

Sérgio Masson/Gazeta de Ribeirão

Nunes divide bola com Lúcio, que fez o primeiro para o São Paulo

O Botafogo conheceu na noite deste domingo (7) sua primeira derrota em casa no Campeonato Paulista, ao ser derrotado pelo São Paulo, por 3 a 1, em jogo válido pela 17ª rodada da competição.

O resultado, além de manter um tabu de dois anos sem vitórias do Botafogo contra times grandes do futebol paulista, também deixou o time de Ribeirão estacionado na tabela, com 28 pontos, na sétima posição.

O time vai precisar de bons resultados nas duas últimas rodadas --contra o Bragantino, no próximo domingo, e contra o XV de Piracicaba, dia 21-- para garantir a classificação à segunda fase do Paulistão e para a Série D do Campeonato Brasileiro. O São Paulo foi aos 38 pontos, segue na liderança isolada e poderá garantir a primeira colocação na primeira fase se vencer o União Barbarense, na próxima quarta-feira.

O jogo deste domingo foi nervoso e bastante truncado. Do lado do Botafogo, Zé Antônio e André foram expulsos, o que complicou os planos do técnico Marcelo Veiga. Na saída de campo, o goleiro Rafael resumiu o sentimento do time com a arbitragem.

“Está complicado. Fizemos uma falta no meio campo e nosso jogador foi expulso direto. Eles (São Paulo) fizeram três, quatro e não aconteceu nada. Nossa diretoria precisa fazer alguma coisa, porque isso está muito errado”, disse à SporTV.

O JOGO

O começo da partida já mostrou o que seria a tônica do jogo: domínio de ações no meio campo, com pouca criatividade e quase nenhuma chance de gol de ambos os lados. O Botafogo manteve seu método de jogo, se fechou na defesa e esperava a chance de armar contra-ataques com Nunes, isolado na frente.

O São Paulo, desfigurado e em um mau momento após os resultados na Copa Libertadores, não conseguia superar a forte marcação do Pantera. Com isso, na primeira etapa, os 14 mil pagantes no Santa Cruz tiveram poucas emoções.

O jogo só melhorou um pouco aos 21 minutos, quando Zé Antônio fez falta dura em Douglas e acabou expulso. O São Paulo se soltou, mas não conseguia chegar ao gol de Rafael. As melhores chances vieram com Cañete, que não conseguiu finalizar dentro da área após passe de Wallyson e tentou de fora de área, mas bateu longe do gol.

No segundo tempo, Marcelo Veiga resolveu mudar. Sacou o artilheiro Nunes, que tinha cartão amarelo e deixou o campo no primeiro tempo discutindo com o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, e colocou Francis. No São Paulo, saíram Fabrício e Cañete para a entrada de Douglas e Maicon.

As mudanças, no entanto, não mudaram o panorama da partida, que continuava truncada. Aos 16 minutos, o Botafogo teve mais um jogador expulso. André fez falta em Ademílson na entrada da área e levou o segundo cartão amarelo. Mas nem deu tempo do São Paulo aproveitar a maior vantagem numérica: em seguida, foi a vez de Rodrigo Caio fazer falta em Danilo Bueno, também ser punido com o segundo amarelo e sair de jogo.

Quando o jogo caminhava para um sonolento 0 a 0, veio o gol do São Paulo. Aos 28 minutos, Lúcio cobrou falta de longe, mandou uma pancada, a bola passou pela barreira e enganou o goleiro Rafael, que deixou passar.

Marcelo Veiga quebrou um pouco a retranca e tentou colocar o Botafogo um pouco mais à frente, com o atacante Dimba no lugar do zagueiro Cris. Mas o São Paulo fez o segundo aos 36, após bela troca de passes entre Wellington e Aloísio. O atacante recebeu na entrada da área e fuzilou Rafael para fazer 2 a 0.

Em seguida, uma situação curiosa: Maicon sentiu dores e saiu de campo. Como o técnico Ney Franco já havia feito as três substituições a que tinha direito, o São Paulo também ficou com nove jogadores em campo.

Aos 40, o São Paulo ampliou com um golaço de Ademílson. Ele pegou a bola na intermediária e avançou. Tentou um toque de calcanhar, mas a bola bateu na zaga do Botafogo e voltou para ele. Na entrada da área, de frente para o gol, só tirou de Rafael.

Aos 44, o Botafogo conseguiu fazer sua primeira finalização no segundo tempo. Dimba bateu de longe e exigiu boa defesa de Dênis. Aos 47, o Pantera fez seu gol de honra. Giovani tentou de fora de área, Dênis falhou e rebateu nos pés de Dimba, que só empurrou para marcar. Mas já era tarde. Resultado final, São Paulo 3, Botafogo 1.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 1 x 3 SÃO PAULO

BOTAFOGO

Rafael Santos; Igor, Cris (Dimba) e Preto Costa; Daniel Borges, André, César Gaúcho, Zé Antônio, Danilo Bueno e Giovanni; Nunes (Francis). Técnico: Marcelo Veiga.

SÃO PAULO

Dênis; Rodrigo Caio, Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Fabrício (Maicon), Douglas e Cañete (Aloísio); Wallyson e Ademilson. Técnico: Ney Franco.

Gols: Lúcio, aos 28, Aloísio, aos 34, Ademilson, aos 40 (São Paulo); Dimba, aos 47 do segundo tempo (Botafogo)

Cartões amarelos: Rafael Santos, Nunes e César Gaúcho (Botafogo); Lúcio e Fabrício (São Paulo)

Cartões vermelhos: Zé Antônio e André (Botafogo); Rodrigo Caio (São Paulo)

Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza

Renda: R$ 541.020,00

Público: 14.680 pagantes