Publicado 09 de Abril de 2013 - 12h07

Por Agência Anhanguera de Notícias

O diretor-executivo Mark Zuckerberg argumentou que as pessoas gastam no Facebook 20% do tempo que passam nos smartphones

France Press

O diretor-executivo Mark Zuckerberg argumentou que as pessoas gastam no Facebook 20% do tempo que passam nos smartphones

O site de relacionamentos Facebook lançou um pacote de programas denominado Home, que invade os domínios dos celulares inteligentes que rodam o sistema Android, elevando o tom do desafio sobre os concorrentes Apple e Google no cada vez mais promissor mercado dos dispositivos móveis.

O diretor-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, explicou que o novo programa vincula a rede social à tela inicial dos telefones das empresas de eletrônicos HTC e Samsung, que rodam as últimas versões do Android, focando as experiências nas “pessoas e não nos aplicativos”.

“Não estamos construindo um telefone ou um sistema operacional, estamos construindo algo que é muito mais profundo do que um aplicativo”, afirmou Zuckerberg durante encontro na sede da companhia, no Vale do Silício.

A empresa refere-se ao novo programa como “uma nova forma de transformar seu telefone Android em um excelente aparelho, vivo e social”.

O programa, que permite aos usuários ver o Cover Feed (feed da capa) do Facebook quando ligam seus aparelhos, estará disponível para download no site de compras Play, do Google, a partir de 12 de abril, disse Zuckerberg.

Uma versão deve estar disponível na Europa nos próximos meses, segundo o Facebook, que disse estar trabalhando na adaptação do sistema para tablets.

O Home será disponibilizado pela empresa de eletrônicos de Taiwan HTC, que lançará seu smartphone com tela inicial do Facebook, denominado HTC First, e será vendido ao preço de US$ 100 pela telefônica americana AT&T.

“É o único telefone que tem a tela inicial do Facebook pré-carregada e otimizada”, disse o diretor da HTC, Peter Chou, ao lado de Zuckerberg no evento.

Ao demostrar o funcionamento do aparelho, Zuckerberg iniciou o Facebook na tela inicial do telefone e conseguiu navegar e avançar e retroceder entre os aplicativos, enquanto simultaneamente envia e recebe mensagens através de “chat heads” (abas de bate-papo) que se sobrepõem na tela.

“Penso que é um grande negócio para o Facebook”, avaliou Peter Corbett, da empresa de pesquisas iStrategyLabs.

“Temos visto o Facebook se denominar empresa móvel recentemente e, se acompanharmos as análises, mais da metade de seus usuários acessam o Facebook dos celulares. Agora que têm o que será essencialmente uma área nativa do sistema operacional do Android que eles controlam e criam em cima, esse é o futuro do Facebook", acrescentou.

Corbett afirmou que “a Apple deveria se preocupar com o volume” porque o Facebook porá “isso diante de milhões e milhões de jovens do mundo que podem decidir que querem um telefone do Facebook ao invés de um iPhone”.

Para o analista Trip Chowdhry, o novo software é, potencialmente, uma “experiência inovadora”, que poderá ajudar o Facebook a competir com o Google no mercado de publicidade móvel.

“Como o Facebook não está imitando, eles vão criar uma posição de liderança”, afirmou, acrescentando que “o Google perdeu uma enorme oportunidade em celulares”.

O site garantiu que nenhuma publicidade será vinculada aos feeds da rede social que aparecem automaticamente quando a página inicial, mas que isso pode ocorrer no futuro.

O Facebook customizou o Home para smartphones que usam a plataforma Android porque o sistema operacional disponibilizado gratuitamente pelo Google pode ser abertamente adaptado por desenvolvedores de hardware, ao contrário do estrito controle que a Apple mantém sobre os aplicativos do iPhone.

Zuckerberg foi cuidadoso ao não fazer desafios abertos aos concorrentes.“Temos um ótimo relacionamento com a Apple”, disse.

“O Google está consciente do que estamos fazendo; nós falamos com eles”, acrescentou. “Nós nos comprometemos a fazer o nosso melhor em cada plataforma”, emendou.

Zuckerberg argumentou que desde que as pessoas gastam 20% do tempo que passam em smartphones no Facebook, melhorar a experiência com os dispositivos Android foi algo positivo para o sistema operacional móvel do Google.

“Toda empresa que eu conheço começa o dia tentando criar uma experiência melhor e a Google faz isso”, afirmou. “De alguma forma, isso pode começar a trazer parte daquelas experiências de alta qualidade que você vê em iPhones para o Android, e poderia ser realmente bom para o Android”, emendou. 

Escrito por:

Agência Anhanguera de Notícias