Publicado 07 de Abril de 2013 - 5h00

Segurança

Gustavo Boccaletti

Advogado, Campinas

Precisou este periódico noticiar para que o tão amplamente anunciado, badalado e divulgado Gabinete de Segurança, criado há um mês pelos governos Municipal e Estadual, marcasse sua primeira reunião. Frise-se: um mês e nenhuma reunião sequer. Enquanto isso, a população, mais uma vez iludida por cenas e palavras, continua insegura, com medo, desprotegida. E a criminalidade, que os fatos comprovam e os olhos não deixam duvidar, “deita e rola”. Será que não seria mais fácil aumentar o efetivo policial militar, civil e municipal, dando mais armamentos, viaturas, condições de trabalho e melhor remuneração? Até onde sei, ações policiais estratégicas, inteligentes, que têm por fim o verdadeiro combate ao crime, não podem ser sequer divulgadas antes de executadas. Assim não dá!

Caso Sanasa

Odair Flores de Oliveira

Construtor, Campinas

Humilhação é o que representa a foto da primeira página da ex-primeira-dama e sua advogada, ambas sorridentes e felizes, parecendo dizer: “os idiotas, pagadores de impostos, se enganam se acham que vamos perder”. Mas sabem no que acredito? Todos pagarão de uma forma ou de outra. É só relembrarmos o que aconteceu com autoridades como ex-presidentes e ex-governadores, Hugo Chávez e outros. Convém também lembrarmos sempre que temos entes que amamos muito como filhos e netos e que dinheiro ganho ilicitamente talvez não seja suficiente para salvá-los de uma desgraça. Pensem nisso: caixão não tem gavetas. Temos tanta importância neste mundo como um grão de areia fina.

Banheiros

Bi Rodrigues

Diretor de TV, Campinas

A carta do leitor Milton Bassi me surpreendeu por um ponto: banheiros da Prefeitura. Não vou discutir os outros itens da missiva do leitor, mas quanto aos banheiros da Prefeitura, me desculpe Milton, independentemente de quem seja o prefeito, pois não vem de hoje, os banheiros do andar térreo da Prefeitura são limpíssimos, com segurança e com pessoal da limpeza constantemente na porta para manter a higiene. Pergunto: Há quanto tempo o senhor não usa os banheiros da Prefeitura? Críticas sim, infundadas não.

Domésticas

Fabio Biral

Jornalista, Campinas

Todos nós sabemos da dedicação da empregada doméstica a nossas famílias. (...) Em relação aos novos direitos assegurados, o tempo de descanso pode gerar controvérsias. Entre as empregadas domésticas registradas, com jornada superior a 6 horas, só irão optar por fazer o mínimo de uma hora de descanso, podendo postergar esse prazo para o máximo de duas horas, quem quiser ficar parada muito tempo, desperdiçando tempo depois do almoço e do breve descanso. Com isso, irão acabar chegando do serviço, ainda mais tarde.

BBB

Marina Bellini

Jornalista e estudante, Campinas

Gostaria de responder à crítica que o Leopoldo Matias fez sobre quem gosta de BBB em 2/3. Não assisti ao programa e faz um tempo que ele perdeu a graça para mim, mas entendo que existam pessoas que o assistam. Nós, seres humanos, gostamos de observar uns aos outros e seus comportamentos. É da nossa natureza. É assim que estabelecemos relações e é assim que aprendemos sobre nós e sobre a vida. Ao acompanhar um reality show, uma novela, uma peça de teatro, um livro, um filme ou até um seriado, exercemos nossa vontade de assistir o comportamento de outras pessoas. (...) É muito fácil e muito vazio olhar com pesares para quem gosta do que você não gosta e é mais fácil ainda se acomodar com esse tipo de pensamento. Difícil mesmo é sair do “status quo” do julgamento negativo. (...)

Gape

Adeilson Santos

Professor, Campinas

Navegando pelo site da Prefeitura de Campinas, observei que existe um grupo, o Gape (Grupo de Análise de Projetos Específicos), que tem como atribuição a aprovação de grandes empreendimentos localizados no município. É muito bom saber que existe uma equipe de engenheiros e arquitetos para a análise de grandes projetos, principalmente para aqueles que trazem grandes impactos no trânsito e no meio ambiente. O problema é que existe uma análise de projeto e sua aprovação, mas a Prefeitura não fiscaliza o empreendimento após a sua construção. O proprietário, sabendo que não haverá fiscalização no futuro, apresenta um projeto adequado para a Prefeitura, porém, após aprovado, modifica-o e constrói de forma diferente, trazendo riscos para a população.

Trânsito

Pedro Dias

Administrador, Campinas

Aproveitando a sua cota de combustível existente, nossos dignos representantes na Câmara de Vereadores poderiam fazer uma boa ação para o caótico trânsito: dar uma carona ao secretário de Transportes, passando pelas principais avenidas da cidade, para comprovar a inexplicável falta de sincronismo nos semáforos de nossa cidade, que tira a fluidez, aumenta consumo de combustível e eleva o estresse dos motoristas. Qualquer cidade com poucos recursos consegue manter a sincronia que melhora em muito o trânsito. (…)

CCC

José Maria Pascoal Jr.

Oficial do Exército, Campinas

Outra vez se vê a falta da presença do poder público no CCC. Morador da Rua São Pedro (...) faço coro com o desapontamento dos atuais moradores, ao ver a degradação nítida de uma área tão bela e útil ao povo, outrora pacífica. Nesse particular, nosso prefeito Jonas já carrega grande responsabilidade sobre a situação atual, uma vez que tem priorizado outros projetos, como o do futuro teatro de ópera no Parque Ecológico, em prol do Centro de Convivência. No mínimo, como imóvel municipal, deveria nossa GM prover a segurança efetiva, dia e noite, com a finalidade de repudiar os ilícitos que se tornaram intoleráveis, até que sejam realizadas as obras de revitalização.

Jorge Massarolo

Cláudio Ruggeri

Aposentado, Campinas

Caro Jorge Massarolo, li sua crônica no Correio (30/3 — A Páscoa e a macela) e gostei muito. Aprendi mais um pouco. A macela fez parte de minha vida quase sempre. Aparecia como milagrosa e salvadora nos momentos de “dores de barriga” e demais alterações da nossa infância. Sempre teve um “ar místico”. Passava de vó para mãe, para a filha e assim por diante. Não me falta em casa e tem me auxiliado bastante com suas propriedades curativas. Fazia parte do meu receituário na clínica. Continue escrevendo. Suas crônicas nos fazem bem.