Publicado 09 de Abril de 2013 - 5h02

Por Milene Moreto

iG - Milene Moreto

Cedoc/RAC

iG - Milene Moreto

O vereador de Campinas Paulo Galterio — integrante do PSB do prefeito Jonas Donizette — ganhou proteção ontem na Câmara. Seus colegas não quiseram entrar na discussão na tribuna sobre a denúncia de que o parlamentar cobra para alugar um campo de futebol público, no Jardim Rossin. Apesar de não terem ido a público, os legisladores não gostaram nada da atitude do peessebista. No início, eles relutaram depois, pediram investigação.

Galterio foi questionado pela Administração. Para os caciques do governo Jonas, o vereador negou que tenha cometido qualquer irregularidade. Mesmo assim, o PSB vai apurar o caso. Fato é que Galterio não fez questão de justificar nada à imprensa, nem ao seus colegas, pelo contrário, fez críticas ao trabalho dos jornalistas no que diz repeito à divulgação dos seus polêmicos projetos de lei. O vereador agora será investigado.

Feliciano

Na sessão de ontem, os vereadores que integram a Comissão de Constituição e Legalidade não aprovaram a moção de apelo para que o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) deixe a Comissão de Direitos Humanos na Câmara. Apenas dois vereadores votaram a favor: Pedro Tourinho (PT) e Luiz Henrique Cirilo (PSDB). 

Entre tapas e beijos

Os vereadores que dividem redutos eleitorais no Campo Grande negam que tenham qualquer conflito por espaço ou, até mesmo, por uso do maquinário da Administração Regional. Segundo um dos integrantes do grupo, a relação está pacífica, amorosa e tranquila.

Tenda

Depois que o vereador Gustavo Petta (PCdoB) colocou uma tenda na praça da Concórdia, no Campo Grande, no último final de semana, seu colega da Casa Edison Ribeiro (PSL) disse que também fará isso. Segundo Ribeiro, já havia um planejamento anterior para ouvir as demandas dos bairros do Campo Grande. O principal reduto de Ribeiro é o Satélite Íris.

O lanchinho

O posicionamento de alguns parlamentares em serem contrário ao lanche na Câmara terminou em mesa vazia. Os vereadores disseram que na sessão de ontem não tinha nada para comer. As frutas doadas pelo Ceasa chegaram só no meio da reunião. Teve gente que jurou ter passado fome.

Por que só ele?

Alguns vereadores começaram a questionar a razão de só Luiz Lauro Filho (PSB) ser convidado para todos os eventos oficiais da Prefeitura. Lauro Filho é sobrilho do prefeito. Na Câmara o comentário é que a presença do vereador do PSB em todos os atos do Executivo já vem causando certos incômodos e ciumeira.

Fui para conhecer

O vereador Carlinhos Camelô (PT) disse na sessão de ontem que arcou com todos os gastos de sua viagem para Belo Horizonte. Na semana passada, ele integrou a comitiva do governo para conhecer o shopping popular da cidade, um modelo que poderá se assemelhar ao que promete construir a atual administração, Carlinhos disse que, como representou a categoria por muitos anos, tem o direito de participar das negociações do novo espaço.

O crack e Alckmin

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) estará hoje em Campinas, onde participa de uma série de compromissos. Alckmin assina um convênio com a Prefeitura para a Expansão do Programa de Enfrentamento ao Crack: “Programa Recomeço”. A cidade será a primeira do Interior a receber o programa. E precisa mesmo. Depois da ação do governo do Estado, sob o comando do tucano, na cracolândia em São Paulo, Campinas sofreu com a migração dos usuários, uma vez que a Capital não encaminhou os dependentes para o tratamento. A rede de assistência da cidade está mais lotada que nunca.

Colaborou Bruna Mozer/AAN

 

 

Escrito por:

Milene Moreto