Publicado 05 de Abril de 2013 - 5h02

Por Milene Moreto

iG - Milene Moreto

Cedoc/RAC

iG - Milene Moreto

O secretário de Trabalho e Renda, Jaírson Canário, está em Belo Horizonte, onde visita o centro de comércio popular da capital mineira como forma de se inspirar na criação de um modelo semelhante em Campinas e acabar de vez com o impasse entre os camelôs, Ministério Público e empresários. Canário afirmou que o centro mineiro é “fantástico” e no local transitam diariamente milhares de pessoas. O secretário conversa hoje com os comerciantes mineiros.

No papel?

A proposta é transformar um galpão da Fepasa – doado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) à Prefeitura de Campinas no ano passado – em um camelódromo. O prefeito cassado Hélio de Oliveira Santos (PDT) e seus secretários também buscaram inspiração em outros estados, como no Mato Grosso do Sul, por exemplo. Mas de lá para cá nada saiu do papel, inclusive a regularização dos camelôs. 

Comitiva

Canário foi para a capital mineira acompanhado do vereador Carlinhos Camelô (PT) e da presidente do Sindicato dos Empreendedores Individuais de Ponto Público Fixo e Móvel de Campinas (Sindpeic), Maria José Sales, a Zezé.

Atenção

A presença de Carlinhos Camelô na comitiva de Canário chama a atenção por dois motivos. O primeiro é o fato do parlamentar ser oposição ao governo do prefeito Jonas Donizette (PSB) e ser convidado para participar de uma missão oficial do Executivo. O segundo motivo é que Carlinhos não faz mais parte do sindicato dos camelôs desde que assumiu uma cadeira na Câmara, conforme ele mesmo já atestou. O vereador foi eleito para representar a cidade e não apenas uma categoria.

Contas

O presidente da comissão de Constituição e Legalidade da Câmara de Campinas, Luiz Henrique Cirilo (PSDB), reúne-se hoje com o presidente da comissão de Finanças e Orçamento, pastor Elias Azevedo (PSB), para tratar do cronograma de votação das contas rejeitadas dos ex-prefeitos de Campinas. Os parlamentares têm trabalhado em ritmo acelerado. Algumas votações já são aguardadas para o final deste mês ou, no máximo, início de maio. As contas estão emperradas na Casa há anos.

Sem café

A cúpula do PT baixou em peso ontem em Campinas para participar de um evento dos 10 anos do PT no governo. O presidente nacional Rui Falcão, o deputado federal Ricardo Berzoini e o presidente estadual Edinho Silva foram até a Câmara para falar com a bancada do partido. Acontece que na hora de servir o café, os vereadores passaram por um constrangimento. A bebida tinha acabado no gabinete do Carlão do PT. O que se comentou é que a falta do café é resultado do corte no “lanchinho”. Foi só risada.

Remédio

Moradores de regiões periféricas de Campinas, idosos e pessoas com dificuldade de locomoção passarão a receber remédios em casa. O anúncio foi feito ontem pela Prefeitura. As equipes de saúde que visitam os pacientes nos bairros agora terão farmacêuticos. Essa era uma das principais bandeiras da campanha de Jonas. O peessebista prometeu que todos os moradores que fizerem uso contínuo de medicamentos terão o direito de receber os remédios em casa.

Vai dar o que falar...

A proposta do deputado federal e líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio, de criar o “microempregador doméstico” já causou polêmica nas redes sociais. O tucano quer reduzir os impostos pagos pelos empregadores. A proposta do PSDB será levada à próxima reunião da Comissão Mista e estabelece novas regras para recolhimento da contribuição para o INSS e FGTS. A alíquota para a Previdência paga pelo empregador cai dos atuais 20% para 8%. No caso do FGTS, a redução é de 8% para 4%, além de acabar com a multa de 40% do valor do fundo em caso de demissão.

Colaborou Bruna Mozer/AAN 

 

Escrito por:

Milene Moreto