Publicado 08 de Abril de 2013 - 19h03

Técnicos trabalham na contenção e limpeza de combustível para navios que vazou no Litoral Norte

Divulgação

Técnicos trabalham na contenção e limpeza de combustível para navios que vazou no Litoral Norte

A Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) multou nesta segunda-feira (8) em R$ 10 milhões a Petrobras, pelo vazamento de óleo no terminal marítimo da empresa, ocorrido na última sexta-feira (5), em São Sebastião. A Petrobras também será denunciada por crime ambiental no Ministério Público Estadual.

O vazamento atingiu 11 praias de São Sebastião e Caraguatatuba. O óleo que vazou é do tipo denso MF 380 (Marine Fuel 380), utilizado como combustível em navios. Ele foi na direção norte do litoral paulista e atingiu as praias de Pontal da Cruz, Deserta, Cigarras, Arrastão, Ponta do Arpoador, Porto Grande e Prainha, no município de São Sebastião. Também chegou até as praias de Massaguaçu, Cocanha, Capricórnio e Mococa, no município de Caraguatatuba.

O secretário de Meio Ambiente de São Sebastião, Eduardo Hipólito, disse que o acidente foi o mais grave nos últimos dez anos. "É um acidente de natureza gravíssima, vários ecossistemas costeiros foram atingidos”, afirmou.

O vazamento de óleo foi detectado pela Transpetro por volta das 17h50 de sexta-feira (5) e comunicado à Cetesb às 18h. O problema ocorreu durante um teste em uma rede que, segundo a empresa, estava sem uso havia algum tempo e havia passado por um reparo. Desde então, a empresa realiza ações de contenção e remoção das manchas.

Para remover as manchas de óleo que se espalharam pela orla, foram lançadas barreiras de contenção e utilizados helicópteros na identificação de eventuais manchas de óleo que possam ter escapado desses limites.

No início da limpeza, a empresa informou que disponibilizou uma equipe de 300 pessoas e 37 embarcações, algumas usadas no recolhimento e armazenamento do produto, e outras para lançamento ao mar de vários tipos de barreiras de contenção e de absorção.

Veja também