Publicado 08 de Abril de 2013 - 14h57

O Teatro Coliseu, em Santos, foi interditado e só deverá reabrir dentro de no mínimo um ano

Divulgação

O Teatro Coliseu, em Santos, foi interditado e só deverá reabrir dentro de no mínimo um ano

Com extensa programação já confirmada no Teatro Coliseu, em Santos, organizadores e público foram surpreendidos na última sexta-feira com a decisão da prefeitura de interditar o local por um período não inferior a um ano.

A decisão foi tomada após o resultado de uma vistoria pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), e o motivo principal é o sistema de ar condicionado, cuja área externa da tubulação está enferrujada.

O telhado, segundo a vistoria, também precisa de reformas, uma vez que apresenta infiltrações sobre o palco e sobrecarga de calhas. Segundo o secretário municipal de Cultura de Santos, Raul Christiano, serão gastos cerca de R$ 2,5 milhões para sanar os problemas do teatro. A verba virá por meio de parcerias.

Outros problemas são que o prédio jamais obteve o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) e, dos 44 extintores disponíveis no teatro em janeiro, quase todos estavam vencidos desde o ano passado.

O teatro foi erguido em 1897, na Rua Amador Bueno, e entrou em decadência entre os anos 70 e 90. Ele só foi reaberto apenas em 2006 depois de uma reforma que durou 10 anos e custou R$ 21 milhões.

O Coliseu estava com 29 apresentações pré-agendadas até dezembro, que agora terão que ser levadas para outros locais. O primeiro evento afetado foi o show de Agnaldo Rayol, marcado para o próximo sábado, que foi transferido para o Mendes Convention Center. 

Neste semana, o IPT realizará mais duas vistorias na cidade - no Centro de Cultura Patrícia Galvão e no Teatro Guarany. Os prédios passam, desde o início do ano, por avaliação das equipes da Prefeitura de Santos.