Publicado 08 de Abril de 2013 - 12h21

Túnel deve tem Com 18 metros de largura - ainda não se sabe o comprimento

Rogério Bomfim/Divulgação

Túnel deve tem Com 18 metros de largura - ainda não se sabe o comprimento

As descobertas arqueológicas ajudam a entender o passado e construir a história. Normalmente são feitas por acaso, quando se menos espera. Assim aconteceu em Santos, onde uma galeria submersa foi encontrada na avenida Ana Costa e pode desvendar um mistério de aproximadamente 120 anos. O achado é tão valioso que pode mudar um capítulo da história da cidade e deu-se por acaso, há três semanas, durante uma obra da Siedi (Secretaria de Infraestrutura e Edificação).

"Durante uma escavação para trabalharmos nos dutos de infraestrutura e energia da região, foram encontrados resquícios da antiga galeria”, disse o engenheiro Glaucus Farinello, chefe do departamento de obras públicas da Siedi.

Com 18 metros de largura – ainda não se sabe o comprimento - e coberto de areia em boa parte de sua base, por conta da construção dos canais no início do século 20, a estrutura é composta por diversos arcos de tijolo, separados por alguns pilares feitos do mesmo material e perfil metálico, além de trilhos de bonde na parte superior dos arcos, que ajudam na sustentação do local.

De acordo com o arqueólogo Manoel Gonzalez, a galeria foi construída entre os anos de 1890 e 1896 e teria função de canalizar um rio que vinha dos morros e outro oriundo do porto. A descoberta contesta a versão, que muitos historiadores sustentam, de que a desembocadura dos dois rios seria na direção do canal 3.

"Minha opinião é que isso acontecia na Ana Costa, contrariando os mapas. A galeria está localizada na direção da praça da Independência, caracterizando a passagem do rio. Não haveria sentido em fazer uma galeria ali se isso não acontecesse”, avalia Manoel Gonzalez, diretor do Centro Regional de Pesquisas Arqueológicas, que, acionado pela prefeitura, iniciou um trabalho de pesquisa e estudo na galeria.

A área encontrada deve ser registrada no Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) como sítio arqueológico.

Observação pública

Por conta da descoberta, a prefeitura construirá um espaço, intitulado Túnel do tempo, para que o público possa observar a antiga estrutura da galeria. O local será instalado no passeio público, em um poço de visita localizado na altura do número 479 da avenida Ana Costa. A estimativa é de que o espaço esteja pronto para visitação em duas semanas.