Publicado 05 de Abril de 2013 - 13h24

Gabrielli, Matheus e Jonathan, na praça do bairro: sem área de lazer

Elcio Alves/ AAN

Gabrielli, Matheus e Jonathan, na praça do bairro: sem área de lazer

Os alunos do 9º ano da Escola Estadual Rita de Cássia da Silva, no Parque Fazendinha, em Campinas, tiveram aula na praça do bairro na quinta-feira (4) à tarde para protestar contra o que classificam como descaso da Prefeitura. No bairro, que fica próximo a Hortolândia, o mato alto e os buracos dificultam a vida dos moradores.

Os poucos espaços de lazer da região, uma praça e um campo de futebol na Rua Lucindo Silva, estão tomados pelo mato alto, lixo e entulhos. A situação levou a professora Stefani Edwiges da Silva a programar uma atividade com 22 estudantes pelas ruas do bairro.

“Os meus alunos reclamaram em sala de aula que o mato tomou todo o parquinho e o campinho de futebol, então resolvemos fazer esse protesto para que as pessoas vejam o quanto o nosso bairro foi esquecido”, comentou a professora de português.

“Temos um projeto chamado Protagonismo Juvenil, no qual os jovens agem de forma a modificar o lugar em que vivem”, afirmou.

A ideia é que os estudantes aprendam a mudar a sua realidade e a exercer seus direitos e sua cidadania. “Eles reclamaram que não há opções de lazer e esporte no nosso bairro, então vamos mostrar essa situação para toda escola e para a cidade”, contou a professora.

Os estudantes caminharam pelas ruas do bairro para identificar as deficiências de estrutura e conservação nas vias, registrar as imagens e também escrever sobre o Parque Fazendinha.

“É uma situação complicada, porque já não tem quase lugar para a gente brincar e os que têm estão assim abandonados. Não temos onde ir, acabamos ficando em casa usando o computador”, disse o adolescente Matheus Theodoro.

O grupo mapeou uma outra área localizada no final da Rua Colomba Lourencetti Lunardi, que está repleta de lixo e entulho. “Muitos alunos passam todo dia por aqui a caminho da escola e a situação desse local está muito ruim. É lixo e tem um monte de inseto e quando chove, fica pior”, afirmou a estudante Gabriele Caroline Panzarin.

Em sala de aula, os estudantes irão elaborar cartazes que serão espalhados pela escola e encaminhados para a Prefeitura de Campinas. “Nosso bairro merece mais atenção, há muitos bichos nesse mato, não conseguimos usar essas áreas”, reclamou o estudante Jonathan Ribeiro.

Buracos

Os buracos são outro problema. “Os buracos estão aqui desde o ano passado”, reclama a aposentada Dora Silva. Carros e ônibus têm que andar devagar para conseguir desviar dos buracos.

Os moradores reclamam ainda que a Secretaria de Serviços Públicos esteve na região e limpou apenas o Parque Santa Bárbara. “A impressão que temos é que somos esquecidos porque estamos mais próximos de Hortolândia que de Campinas”, afirmou.

O secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, informou, por meio da assessoria de imprensa, que as equipes devem iniciar o trabalho de limpeza e tapa-buracos no bairro assim que os trabalhos estiverem concluídos no Parque Santa Bárbara. Isso deve ocorrer na próxima semana.