Publicado 09 de Abril de 2013 - 10h48

A cidade de Las Vegas (EUA) anunciou essa semana que uma série de novos projetos  injetará cerca de US$ 5 bilhões no destino durantes os próximos anos. “Este é um momento emocionante já que a confiança na marca Las Vegas continua a crescer com novos projetos e investimento permanente,” disse Rossi Ralenkotter, presidente/CEO da Las Vegas Convention and Visitors Authority. “Os bilhões de dólares investidos em Las Vegas são para criar experiências únicas e instalações de primeiro mundo e mostram por que Las Vegas continua sendo o destino favorito para lazer e negócios no mundo.”

Depois de receber o recorde de quase 40 milhões de visitantes em 2012, Las Vegas vai ganhar mais atrações,  desde um distrito global de negócios até resorts remodelados e locais de diversão. Em março, o Grupo Genting, com sede na Malásia, anunciou um complexo de resorts multibilionário, com temática asiática, localizado na Las Vegas Strip. Resorts World Las Vegas terá 3,5 mil quartos, restaurantes e lojas de luxo e um centro de convenções de 46 mil metros quadrados. Uma réplica da Grande Muralha da China e parque aquático também estão planejados. Inauguração esperada para 2016.

MGM Resorts International e AEG recentemente anunciaram planos para uma arena com 20 mil lugares localizada entre o New York-New York e o Monte Carlo Resorts. A empresa também está rebatizando o THEhotel no Mandalay Bay para Delano Las Vegas, que abrirá as portas no início de 2014, e renovará várias das propriedades, incluindo Mandalay Bay, MGM Grand, The Mirage e Bellagio. Só o MGM Resorts vai investir US$ 300 milhões em seus resorts de Las Vegas em 2013. A empresa estima que o investimento total, contando o de seus parceiros, será de US$450 milhões.

Caesars Entertainment anunciou no último mês detalhes do Ganseveoort Las Vegas, um novo resort butique e cassino que ficará no antigo local do Bill’s Gamblin’ Hall & Saloon. O projeto de renovação de US$185 milhões é colaborativo com o Grupo Gansevoort e o promoter Victor Drai, apresentando um espaço de 6 mil metros quadrados na Drai Beach Club and Nightclub. O projeto está programado para inaugurar no início de 2014.

Caesars também continua a trabalhar no projeto de US$500 milhões do The LINQ, complexo de restaurantes, lojas e entretenimento que terá a maior roda-gigante do mundo, a Las Vegas High Roller, com 170 metros de altura.. A empresa também tem outros projetos em andamento em suas propriedades, incluindo a inauguração do Nobu Hotel no Caesars Palace e renovações no The Quad, antigo Imperial Palace.

Em fevereiro, a Las Vegas Convention and Visitors Authority revelou planos para o Distrito Global de Negócios, um projeto abrangente para o Las Vegas Convention Center e arredores. Com custo preliminar de US$2,5 bilhões, será completado em fases. Isso vai criar um destino internacional de negócios, incorporando renovações de grande porte no Las Vegas Convention Center, aproveitando o nome de World Trade Center e desenvolvendo o transporte através de um eixo central. Essa será a primeira expansão do Las Vegas Convention Center na última década. A LVCVA planeja emitir US$ 150 milhões para financiar os elementos da primeira fase do projeto.

“O Distrito Global de Negócios é um projeto transformador que vai lançar Las Vegas à frente da competição e solidificar sua posição como centro internacional de negócios”, disse Ralenkotter.

Além desses projetos, vários resorts estão sendo rebatizados e passando por renovações em suas propriedades para continuar cumprindo a promessa da marca como o principal destino de lazer do mundo. Alguns grandes projetos: reinauguração do Sahara como SLS Las Vegas em 2014 e do Lady Luck como Downtown Grand ainda este ano; e renovações no The Venetian, Gold Coast Hotel and Casino, Golden Gate, Palms, The D Las Vegas, Riviera, The New Tropicana Las Vegas e Four Seasons, entre outros.

Nos últimos anos, outros investimentos mostraram a confiança na marca Las Vegas. O Terminal 3 no McCarran International Airport, com custo de US$ 2,4 bilhões, o The Smith Center for Performing Arts, de US$470 milhões, o The Mob Museum ( US$42 milhões) e a renovação de US$3 milhões no Neon Museum confirmam que Las Vegas não fica parada.