Publicado 09 de Abril de 2013 - 17h18

Por France Press

O ex-ministro francês do Orçamento Jérôme Cahuzac

France Press

O ex-ministro francês do Orçamento Jérôme Cahuzac

A direção do Partido Socialista Francês (PS) decidiu por unanimidade expulsar da formação o ex-ministro do Orçamento Jérôme Cahuzac, que mentiu sobre a existência de uma conta bancária na Suíça não declarada, anunciou o partido em um comunicado nesta terça-feira.

"A direção nacional reunida hoje (terça-feira) anuncia sua expulsão do Partido Socialista", declarou o comunicado. "Em vista dos atos inaceitáveis para um representante da República e membro do governo, a posse de uma conta oculta no exterior para fraudar o fisco e suas mentiras ao presidente da República, à representação nacional e aos franceses, Jérôme Cahuzac causou graves danos ao Partido Socialista e seus princípios", de acordo com o texto.

O secretário do PS, Harlem Désir, havia considerado na semana passada, logo após as confissões do ex-ministro sobre a posse de contas bancárias não declaradas no exterior, que Cahuzac tinha sido "expulso de fato do Partido Socialista."

Désir também afirmou nesta segunda-feira que seria "totalmente insano" se Cahuzac, que renunciou ao seu posto no governo em 19 de março, retomasse seu cargo de deputado na Assembleia Nacional, apesar de ter esse direito. "Não pode voltar para esta assembleia, na qual mentiu de forma tão flagrante, cínica," disse a um canal de televisão francês.

De acordo com pesquisa realizada pela Ifop-Paris divulgada nesta terça-feira, a popularidade de Cahuzac afundou em abril, com apenas 12% de opiniões favoráveis ao ex-ministro, o que o deixou em último lugar no ranking de personalidades políticas francesas.

Escrito por:

France Press