Publicado 08 de Abril de 2013 - 8h42

Por France Press

Justiça ordenou a exumação para definir se o poeta foi vítima de câncer ou envenenamento

Divulgação

Justiça ordenou a exumação para definir se o poeta foi vítima de câncer ou envenenamento

A exumação dos restos mortais do poeta chileno Pablo Neruda começou nesta segunda-feira no balneário de Isla Negra, na costa central do Chile, para esclarecer se ele foi assassinado pela ditadura de Augusto Pinochet ou morreu de câncer, como afirma a versão oficial.

O trabalho começou com a abertura da cripta onde estavam os restos mortais do Prêmio Nobel de Literatura, perto do mar e ao lado da sepultura de sua terceira esposa Matilde Urrutia, sob a supervisão do juiz responsável pelo processo, Mario Carroza, além de advogados e dezenas de peritos forenses.

Escrito por:

France Press