Publicado 06 de Abril de 2013 - 8h14

Por Agência Estado

Felipão só poderá chamar os atletas que atuam no Brasil

France Press

Felipão só poderá chamar os atletas que atuam no Brasil

Apesar da fragilidade do adversário e de Luiz Felipe Scolari já ter dito que "o grupo está mais ou menos fechado", o penúltimo amistoso da seleção brasileira antes da convocação para a Copa das Confederações será uma grande chance para pelo menos seis jogadores mostrarem serviço ao treinador. Ronaldinho Gaúcho, Alexandre Pato, Leandro Damião, Paulinho, Dedé e Jean têm a oportunidade de neste sábado (6), às 16h30 (de Brasília), contra Bolívia, em Santa Cruz de la Sierra, convencer Felipão de que podem fazer parte do elenco que disputará a competição em junho.

 

Depois do jogo deste sábado, o Brasil fará apenas mais um amistoso antes do evento-teste para a Copa do Mundo. Será no dia 24 contra o Chile, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, quando também serão convocados apenas atletas que atuam no País. E Felipão já adiantou que dos 17 jogadores chamados para enfrentar a Bolívia (Arouca foi cortado por lesão), "13 ou 14 estarão no jogo com o Chile". A tendência é os quatro atletas da seleção sub-20 que foram convocados desta vez (Leandro, Douglas Santos, Dória e Matheus Vidotto) sejam substituídos por jogadores mais experientes.

A começar por Ronaldinho Gaúcho, a partida deste sábado pode ser considerada crucial. Isso porque o meia, que briga diretamente com Kaká por uma vaga, tem jogado muito bem no Atlético Mineiro, mas na seleção não mostrou ainda que pode ser o líder que Felipão precisa. Uma boa atuação será fundamental para que ganhe pontos com a comissão técnica e deixa o meia do Real Madrid para trás.

 

Ainda no meio de campo, as atenções estarão voltadas para Paulinho. Machucado, o volante do Corinthians foi cortado dos amistosos contra Itália e Rússia, no mês passado, e viu Hernanes jogar bem, sobretudo na marcação, e ser elogiado por Felipão. Agora, ele tenta recuperar o espaço perdido. Situação parecida vive o zagueiro Dedé, do Vasco, que também foi cortado dos dois últimos amistosos por problemas físicos. Apesar de não brigar por uma vaga de titular, ele tenta se firmar no grupo.

 

No ataque, Alexandre Pato e Leandro Damião sabem que não vão tirar o lugar de Fred, que se consolidou como camisa 9 da seleção ao marcar três gols nos três jogos que a equipe disputou este ano sob o comando de Felipão. Mas a vaga para reserva do atacante do Fluminense está aberta, já que Luis Fabiano, que chegou a ser titular contra a Inglaterra, anda em baixa com o treinador.

 

O volante Jean costuma se dar bem quando é improvisado como lateral-direito no Fluminense. Felipão, no entanto, ainda não observou o rendimento do jogador nesta posição pela seleção e o fará neste sábado. Se não decepcionar, praticamente garante a sua presença na Copa das Confederações porque a seleção carece de jogadores versáteis.

 

CONFORMISMO

Enquanto que para esse sexteto a partida deste sábado pode ser considerada importantíssima, para outros jogadores a realidade é bem diferente. É o caso de Jadson, que volta à seleção - a sua última participação havia sido no Superclássico das Américas do ano passado, no estádio Serra Dourada, em Goiânia, diante da Argentina.

 

O meia reconhece que as suas chances de disputar a Copa das Confederações são mínimas. "Está em cima da hora e o Brasil tem vários jogadores de qualidade. Eu tenho consciência disso", afirmou o jogador, que assim como Osvaldo defendeu o São Paulo na última quinta-feira na capital La Paz, contra o The Strongest e permaneceu na Bolívia para se apresentar à seleção nesta sexta.

Escrito por:

Agência Estado