Publicado 05 de Abril de 2013 - 9h55

Por Correio


O capitão da PM, que ordenou a abordagem de pardos e negros em rodas no Taquaral, em Campinas, não fará mais patrulhamento nas ruas da cidade. Ubiratan de Carvalho Góes Beneducci trabalhará agora em funções administrativas. A transferência foi feita esta semana e não está relacionada com o caso ocorrido em dezembro de 2012, informou o setor de Comunicação da Polícia Militar. Trata-se de "movimentação administrativa habitual".

O episódio é investigado pela Corregedoria da Polícia Militar.

A ordem do capitão era para que os policiais focassem nas "abordagens a transeuntes em atitude suspeita, especialmente indivíduos de cor parda e negra com idade aparentemente de 18 a 25 anos, os quais estão sempre em grupo de 3 a 5 indivíduos na prática de roubo a residência".

À época, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) se manifestou sobre o caso, afirmando que não se tratava de racismo porque a descrição era de um grupo específico de criminosos. “Você tem um suspeito feito pelas características. É como se dizer: 'Olha, teve um assalto aqui e o suspeito é um loiro, uma pessoa loira, ou o suspeito é uma pessoa japonesa, asiática'.

Enfim, o suspeito era uma pessoa de cor parda".

Beneducci era comandante da 2ª Companhia do 8º Batalhão da PM de Campinas, que passou a ser comandada agora pelo tenente André Pereira.

Escrito por:

Correio