Publicado 09 de Abril de 2013 - 8h50

Pouca iluminação afasta frequentadores da Praça Arautos da Paz

LEANDRO FERREIRA/AAN

Pouca iluminação afasta frequentadores da Praça Arautos da Paz

Uma das praças mais conhecidas de Campinas, a Arautos da Paz, também tem sofrido com a falta de manutenção. O espaço público inaugurado em 2004, que já foi palco de festas populares e grandes shows de música, é mais uma área municipal alvo de reclamações. Uma das principais queixas da vizinhança é a falta de iluminação das pistas internas da praça. A presença de moradores de rua também tem prejudicado as atividades de esporte e lazer durante a noite no espaço. A reportagem do Correio esteve na praça e constatou dezenas de lâmpadas queimadas e rachaduras no piso.

Moradores do entorno da área, que preferiram não se identificar, se dividem nas opiniões. Alguns afirmam que não veem problemas no espaço, outros falam em descaso e abandono. Mas são os frequentadores da Arautos que mostram as dificuldades. “Já fizemos várias reclamações na Prefeitura. Prometeram, mas nada. Falta iluminação, manutenção. A praça não tem água e cada vez que a Prefeitura faz um evento, furam o piso e ficam os buracos”, disse o patinador Alexandre Rodrigues Juliani, de 32 anos. Ele costuma ir à Arautos aos domingos e coleciona reclamações. “Tem muitas rachaduras. Várias pessoas já caíram, se machucaram.”

Segundo Juliani, a praça foi “invadida por moradores de rua”, que ficam sob o teto do palco instalado na praça. O local, inclusive, está todo pichado. A falta de manutenção na armação de ferro também é flagrante, com fios pendurados e ferrugem. “Está perigoso ir pra lá à noite. Ficou escuro e com moradores de rua e usuários de drogas.”

Alex Lima, de 34 anos, deixou de usar o espaço público após as 18h. “A gente ia patinar à noite direto, mas já nem estamos indo mais.”

Técnicos do Departamento de Parques e Jardins (DPJ), órgão vinculado à Secretaria de Serviços Públicos, disseram que será feita uma vistoria no local nos próximos dias para “verificar a situação e programar os serviços necessários.” Não há nenhum projeto de reforma previsto, segundo eles.

Outra praça

A cerca de 100 metros da Arautos, uma outra praça também é motivo de reclamação de moradores. A Praça Maria Imaculada da Silva é bem menor, tem cerca de 60 metros quadrados que dividem as ruas Altinópolis e a Doutor Professor Martagão Gesteira. Essa divisão também causa polêmica entre os moradores. De um lado, a praça é limpa por um morador. Do outro, a falta de poda das plantas causa insatisfação. Durante anos, os moradores cuidaram do espaço verde, que foi batizado com o nome de uma das moradoras que sempre cuidou da praça, o que não agradou a todos os vizinhos que ajudavam na manutenção do local. “A nossa maior preocupação é que desde 2011 não vem ninguém da Prefeitura fazer a limpeza. O vizinho que fazia na praça toda, depois que foi colocado a placa em homenagem à minha mãe, parou de fazer a poda das plantas de um lado”, contou Marta Margarida da Silva.

Ela afirmou que tem vários protocolos na Prefeitura pedindo poda nas árvores e a colocação de grama. A moradora também pede iluminação no espaço, e já prepara um abaixo-assinado para encaminhar à Prefeitura.

O aposentado Guilherme da Silva, de 75 anos, pai de Marta, afirmou que a manutenção não pode ficar sob a responsabilidade dos moradores. “A Prefeitura tem que assumir o trabalho e limpar tudo.” “Só assim para ficar tudo limpinho e ter a poda dessas árvores”, disse a moradora Jovina Furlan, de 70 anos, que mora na Rua Altinópolis, o lado “sujo’.

Moradores do lado “limpo”, que não quiseram se identificar, também defendem a intervenção da Prefeitura para manter o espaço conservado.

De acordo com a Secretaria de Serviços Públicos, a limpeza do local consta na programação de manutenção do Departamento de Parques e Jardins (DPJ) e que será realizada “em breve”. A Prefeitura não informou quando o serviço será feito.