Publicado 08 de Abril de 2013 - 11h13

Caixas danificados em agência do banco Santander, no Centro de Jardinópolis

Sérgio Masson/Gazeta de Ribeirão

Caixas danificados em agência do banco Santander, no Centro de Jardinópolis

O número de ataques a caixa eletrônicos na região de Ribeirão Preto chegou a 24 casos. Os últimos dois aconteceram na madrugada de domingo (7), no Centro de Jardinópolis, onde quatro caixas foram danificados por explosivos, enquanto que nesta segunda-feira (8), homens armados destruíram um caixa, que fica dentro de uma usina em Sertãozinho.

No primeiro caso, a quadrilha, que supostamente seria de Campinas, conseguiu fugir com o dinheiro do caixa eletrônico e ainda não foram localizados. A pensionista Maria Tereza Moraes, 93 anos, é vizinha da agência bancária e apesar de confirmar que essa foi a primeira vez que utilizaram explosivos para roubar o banco, já não se surpreende com esse tipo de ação. “Esse banco já foi assaltado pelo menos umas cinco vezes e tenho muito medo porque moro perto dele. Estava tudo destruído com vidro e madeira pelo chão e foi um verdadeiro caos.”

O explosivo utilizado pela quadrilha causou estragos também na estrutura da agência, que só deverá ser reaberta ao público nesta terça-feira (9). A Polícia Civil esteve no local e apreendeu duas barras de ferro, que foram utilizadas pelos bandidos, e pouco mais de R$ 480 em notas que ficaram pelo chão. As imagens das câmeras de segurança serão utilizadas para realizar a identificação dos envolvidos no ataque.

Já em Sertãozinho, outra quadrilha atirou contra os vigilantes da Usina Santo Antônio para terem acesso ao caixa eletrônio que fica na área interna. Ninguém se feriu com os disparos e os assaltantes não levaram dinheiro do caixa porque o cofre do equipamento estava vazio. Um guarda municipal que tentou perseguir os bandidos caiu do telhado de um dos galpões da usina e sofreu fraturas no pé e na clavícula..

A Polícia Civil apreendeu munições de uma arma calibre 12 próximo ao caixa eletrônico. O bando fugiu do local em dois carros que aguardavam do lado de fora da usina e até o momento ninguém foi preso.