Publicado 06 de Abril de 2013 - 19h00

Por Agência Estado

Neymar (centro) é abraçado pelos companheiros depois de marcar

France Press

Neymar (centro) é abraçado pelos companheiros depois de marcar

O Brasil precisou de apenas 45 minutos para definir sua vitória diante da Bolívia neste sábado. Em amistoso realizado em Santa Cruz de la Sierra, mas que mais parecia um treino pelo ritmo da partida, a equipe de Luiz Felipe Scolari marcou três vezes no primeiro tempo, fez mais um nos acréscimos da etapa final e garantiu o 4 a 0 diante do adversário. Foi o primeiro triunfo do treinador neste retorno à seleção.

 

Esta foi a quarta partida após a volta de Felipão, que tinha comandado a seleção na derrota para a Inglaterra e nos empates com a Itália e a Rússia. Neste sábado, o treinador viu o Brasil impor seu ritmo no primeiro tempo e chegar aos gols sem dificuldade. Na etapa final, a equipe se acomodou com o resultado e passou os 45 minutos sem criar.

A partida serviu para homenagear Kevin Espada. O jovem boliviano que tinha 14 anos, morreu no dia 20 de fevereiro durante o confronto entre San José e Corinthians, em Oruro, pela Libertadores. Logo no início da partida, um sinalizador partiu da torcida corintiana e acertou o garoto, que não resistiu e morreu na hora.

O JOGO - O Brasil aproveitou a fragilidade boliviana, foi para cima e marcou o primeiro logo no início. Jadson recebeu, dominou na intermediária e enfiou a bola para Jean, que chegou cruzando de primeira, rasteiro. Leandro Damião se antecipou à zaga e tocou sem chance para Galarza.

O gol não diminuiu o ritmo da seleção, que continuou em cima do adversário. Ronaldinho perdeu boa chance após passe de Neymar. Depois, foi a vez de Paulinho aproveitar sobra de bola e bater em cima de Galarza. Damião quase fez o segundo meio no susto, depois de cobrança de escanteio de Ronaldinho.

Mas a principal chance de aumentar caiu nos pés de Neymar, que cortou o zagueiro e bateu na trave. Foi a última oportunidade brasileira antes que a Bolívia equilibrasse a partida. Aos 17 minutos, Melean dominou na entrada da área e bateu por cima, no primeiro bom momento dos anfitriões.

Quando a partida ficava mais equilibrada, o Brasil chegou ao segundo gol, aos 30 minutos. Neymar tabelou com Ronaldinho Gaúcho e recebeu de frente para o goleiro. Então, o atacante mostrou toda sua categoria e deu um toque por cima de Galarza para marcar. O próprio Neymar faria o terceiro aos 41 minutos, depois de belo cruzamento de Jadson que ele só teve o trabalho de empurrar para o gol.

O técnico Luiz Felipe Scolari decidiu fazer testes na equipe e voltou para o segundo tempo com Osvaldo e Alexandre Pato na equipe, mas o desinteresse brasileiro fez com que os atacantes pouco aparecessem. Com isso, a Bolívia cresceu e passou a ficar mais com a bola.

Marcelo Moreno, de cabeça, perdeu a principal chance dos anfitriões até então, aos 22 minutos. A Bolívia crescia e o centroavante do Grêmio era a principal peça do ataque. Aos 28 minutos ele voltou a levar perigo, ao receber lançamento dentro da área e bater cruzado para fora.

Mesmo sem criar grandes oportunidades, a seleção chegou ao quarto gol nos acréscimos. O atacante Leandro, que havia entrado na vaga de Ronaldinho, aproveitou sobra na área e marcou seu primeiro gol pelo Brasil logo em sua estreia com a camisa amarela.

FICHA TÉCNICA:

BOLÍVIA 0 X 4 BRASIL

BOLÍVIA - Galarza; Bejarano (Jimenez), Zenteno, Eguino e Marvin Bejarano (Torrico); Veizaga (Chumacero), Melean (García), Arce (Vargas), Rojas e Campos (Danny Bejarano); Marcelo Moreno. Técnico: Xabier Azkargorta.

BRASIL - Jefferson; Jean, Dedé (Dória), Réver e André Santos; Ralf, Paulinho, Jadson e Ronaldinho Gaúcho (Leandro); Neymar (Osvaldo) e Leandro Damião (Alexandre Pato). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GOLS - Leandro Damião, aos três, e Neymar, aos 30 e aos 41 minutos do primeiro tempo. Leandro, aos 46 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Patricio Loustau (Argentina).

CARTÕES AMARELOS - Eguino (Bolívia); Osvaldo (Brasil).

RENDA E PÚBLICO - não disponíveis.

LOCAL - Ramon "Tauhichi" Aguilera Costas, em Santa Cruz de la Sierra (Bolívia).

Escrito por:

Agência Estado