Publicado 07 de Abril de 2013 - 10h37

Famílias começaram a demarcar área e esperam mais pessoas para este sábado

Sérgio Masson/Gazeta de Ribeirão

Famílias começaram a demarcar área e esperam mais pessoas para este sábado

Cerca de 50 pessoas começaram a demarcar no início da noite desta sexta-feira (5) uma área ao lado bairro Heitor Rigon, na Zona Norte de Ribeirão Preto.

A ocupação da área deve começar a partir da manhã deste sábado, quando são esperadas famílias de vários bairros da cidade. “Hoje estamos demarcando, amanhã as famílias vem em peso”, disse Marcelo Batista, dos movimentos Livre Nova Ribeirão e do Bem Pró-Moradia Popular.

Segundo ele, a área em ocupação era da Cohab, mas foi vendia a particulares, que não constroem moradias. “O que queremos é que se cumpra o Estatuto das Cidades, que se estabeleça o IPTU progressivo, para incentivar a construção de casas em áreas vazias. Temos que lutar por nossos direitos, que não são cumpridos”, afirmou.

Marcelo Batista também criticou a demora de construção de casas para famílias com renda familiar de zero a três salários mínimos. “Quando é para construir de zero a três salários, o Daerp e as secretarias de Meio Ambiente e Planejamento demoram três meses para licenciar, quando é para faixas de rendas maiores a aprovação sai em 15 dias”, afirmou.

O líder dos dois movimentos disse que desde o início do programa Minha Casa Minha Vida foram construídas cerca de 1,5 mil moradias em Ribeirão preto, enquanto para faixas de três da dez salários forma mais de 5 mil unidades. “A prefeita já conseguiu a construção de 9 mil moradias, mas não sai do papel”.

Enquanto populares demarcavam a área, uma viatura da Guarda Civil Municipal (GCM) chegou ao local, mas os policiais apenas conversaram com os integrantes dos movimentos. Segundo André Tavares, superintendente da GCM, por enquanto haverá apenas monitoramento da situação. “Depois vamos ver a quem pertence a área, para notificar”, disse.