Publicado 05 de Abril de 2013 - 21h02

Animais estavam enterrados no Clube dos Comerciários

Sérgio Masson/Gazeta de Ribeirão

Animais estavam enterrados no Clube dos Comerciários

A Polícia Civil de Ribeirão Preto investiga o Clube do Sindicato dos Comerciários da cidade pela morte de dois cães que faziam a guarda do local, no Parque São Sebastião, Zona Leste.

A polícia recebeu uma denúncia anônima de que os animais teriam sido mortos a tiros, na última terça-feira (2) pelo policial militar que faz bico como segurança no clube a mando do diretor da instituição. Os nomes dos suspeitos não foram divulgados.

Na tarde desta quinta-feira (4), uma equipe da Delegacia de Defesa dos Animais, Meio Ambiente e Idosos foi até o clube e encontrou os animais enterrados. Uma cápsula deflagrada de projétil calibre 40 – arma de uso da PM – também foi encontrada. Os dois cães, um macho e uma fêmea de porte médio e raça indefinida, tinham, cada um, uma marca de ferimento a bala na cabeça.

“O que encontramos aqui bate com a denúncia. Vamos abrir um inquérito, investigar e colher o depoimento dos suspeitos”, disse o delegado Luiz Geraldo Dias, responsável pelo caso. Ele afirmou que já conversou informalmente com PM que faz a segurança do clube, que negou ter executado os cães.

Os corpos dos cães foram recolhidos pelo Centro de Controle de Zoonoses e serão levados para autópsia. O objetivo é encontrar os projéteis e verificar se eles são os mesmos da cápsula deflagrada e da arma usada pelo segurança.

“Fica a pergunta, uma interrogação. Por que alguém faria algo de tamanha crueldade contra esses cães?”, questionou o delegado. Segundo ele, funcionários do clube disseram que os animais eram dóceis e faziam a guarda do local durante a madrugada. A reportagem apurou que eles foram transferidos da sede do Sindicato dos Comerciários para o clube há pouco mais de um mês.

Os suspeitos responderão por crime de crueldade contra animais com morte. A pena pode chegar a oito anos de reclusão. A reportagem entrou em contato com o Sindicato dos Comerciários, mas foi informada que ninguém comentaria o assunto.