Publicado 10 de Novembro de 2012 - 23h17

Por Agência Estado

Bruno Rodrigo marcou na única chance de gol do primeiro tempo, já nos acréscimos

Divulgação

Bruno Rodrigo marcou na única chance de gol do primeiro tempo, já nos acréscimos

Bastou ao Atlético-GO se empenhar nos últimos 15 minutos da partida para vencer o Santos, por 2 a 1, neste sábado à noite, no Estádio Bezerrão, em Gama (DF). O jogo foi quase todo sonolento e só melhorou no finalzinho, quando o time goiano, que optou por mandar a partida no Distrito Federal para obter melhor renda, foi atrás da virada.

 

Bruno Rodrigo marcou na única chance de gol do primeiro tempo, já nos acréscimos. A virada goiana veio primeiro com Diogo Campo aos 39, e pouco depois com o goleiro Márcio, de pênalti, aos 43 da segunda etapa. Neymar, motivo do jogo ser no Distrito Federal decepcionou os fãs, produziu pouco, e não encostou na artilharia.

 

Ainda lanterna e já rebaixado, o Atlético-GO foi a 26 pontos depois da sua sexta vitória no Brasileirão. Já o Santos segue com 46, no nono lugar. Na próxima rodada, a equipe santista recebe o Figueirense. Depois, faz dois clássicos, contra Corinthians e Palmeiras.

 

O JOGO - A partida já começou valendo nada. Prova disso é que assim que o Atlético-GO trocou os primeiros passes a torcida começou a cantarolar "olé". Era a prova que o jogo era um divertido espetáculo amistoso para os torcedores, a grande maioria santistas, que foram ao Bezerrão.

 

A opção de Muricy Ramalho de escalar o time com três volantes matou a criatividade do meio-campo. E como do rebaixado Atlético-GO não dava para se esperar muito, o jogo foi fraco de futebol no primeiro tempo.

 

Neymar não estava muito disposto e praticamente só aparecia nas bolas paradas, agora sob responsabilidade dele no Santos. Quando o craque resolveu jogar, a única chance de gol foi para dentro da rede. Aos 45 minutos, o atacante cruzou da esquerda, André escorou e Bruno Rodrigo, sem marcação, abriu o placar.

 

Devendo futebol à torcida candanga, Neymar voltou mais animado à segunda etapa. Mas só o talento do craque não foi suficiente para fazer a partida valer o ingresso. Chances de gol foram poucas. Aos 15, ele arriscou de longe e Márcio espalmou. Depois, aos 24, armou jogada pelo meio e tocou para Felipe Anderson. O meia, porém, chutou para longe.

 

Na metade final do segundo tempo o Atlético-GO se empenhou e foi recompensado com os gols. A primeira tentativa, aos 36, com Ernanes, parou na trave. Depois, aos 39, veio o empate. Marino cruzou rasteiro e Diogo Campos, livre, escorou para o as redes.

 

O gol da virada saiu com o goleiro Márcio. Ernanes recebeu na área, driblou Rafael e foi derrubado. Márcio atravessou o canto, bateu o pênalti e fez o quarto dele no Brasileirão.

 

FICHA TÉCNICA:

 

ATLÉTICO-GO 2 X 1 SANTOS

 

ATLÉTICO-GO - Márcio; Adriano, Gustavo, Diego Giaretta e Eron; Pituca (Marino), Dodó, Ernanes e Rayllan; Diogo Campos e Ricardo Bueno (Patric). Técnico - Jairo Araújo (interino).

 

SANTOS - Rafael; Rafael Galhardo (Bruno Peres), Bruno Rodrigo, Durval e Gerson Magrão; Adriano, Henrique, Arouca e Felipe Anderson; Neymar e André (Victor Andrade). Técnico - Muricy Ramalho.

 

GOL - Bruno Rodrigo, aos 45 minutos do primeiro tempo. Diogo Campo, aos 39, e Márcio (de pênalti), aos 43 minutos do segundo tempo.

 

ÁRBITRO - Ronan Marques da Rosa (SC).

 

CARTÕES AMARELOS - Ernanes, Diego Giaretta, Gustavo, Neymar, Gerson Magrão e Adriano.

 

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

 

LOCAL - Estádio Bezerrão, no Gama (DF).

Escrito por:

Agência Estado