Publicado 07 de Novembro de 2012 - 12h49

Jonas 1

Tereza Penteado

Artista plástica, Campinas

Conforme noticiado, Jonas pensa em colocar pessoas que não se elegeram para ocupar cargos.

Como assim? Pessoas que não foram eleitas, não foram eleitas porque a população não quis. E essa mesma população que não quis, continua não querendo. É uma regra bem simples e que deve ser seguida, ou teremos problemas.

Jonas 2

Luís Perpétuo Fortes

Professor, Campinas

Muitas pessoas têm escrito parabenizando o futuro prefeito. Não votei nele, mas espero que faça um bom governo. Acho que quanto menos o PSDB participar do futuro governo, melhor, pois com este partido no governo estadual vimos o fim do transporte ferroviário de passageiros, nossa cidade cercada por pedágios caros, adolescentes saindo do Ensino Fundamental não sabendo ler e fazer cálculos simples, a violência aumentando assustadoramente. Quero uma cidade melhor para todos nós!

Joaquim Barbosa

Érica Morais Martelli

Escritora, Campinas

Um homem de origem humilde, honesto, honrado, com qualidades de um ser humano maravilhoso que venceu e provou que sim, seguir em frente com a cabeça erguida em qualquer situação, faz toda a diferença. Que o sr. ministro se torne para nós um bom motivo para servir de exemplo e fazer com que essa nação tenha orgulho do nosso País. Quem sabe teremos muitos ministros Joaquim Barbosa. (...)

Diário do Povo

Adilson Roberto Gonçalves

Professor, Lorena

A notícia da extinção do Diário do Povo impresso e da estreia exclusiva de seu conteúdo na internet (Cidades, 4/11) é mais uma história da revolução pela qual passa a transmissão de informação nos tempos atuais. Dias atrás tivemos notícia semelhante quanto ao Jornal da Tarde, de São Paulo. No início dos anos 1980, eu trabalhava vendendo o extinto Jornal de Hoje nas ruas, cujo proprietário era Orestes Quércia, — o primeiro jornal que circulava às segundas-feiras. Depois, o ex-senador comprou o Diário do Povo, fazendo a fusão em um jornal único, com a tecnologia mais avançada (...).

Eleições

Marcos Roberto Mina

Jornaleiro, Campinas

Pronto, segundo turno passou e já foi escolhido o novo prefeito. Agora promessas terão que ser cumpridas e eleitores satisfeitos com seu voto. E mesmo porque dinheiro foi gasto em campanhas, com santinhos, panfletos, placas, comícios. O Brasil está sem problema algum para todos os gastos que teve nas eleições. Que agora todos os gastos sejam revertidos para saúde, educação, segurança, transporte, lazer e etc. Vamos olhar pra frente, Brasil.

São Paulo

Amaury Frattini

Aposentado, Campinas

Locomotiva do Brasil, assim era conhecido e por nossa vontade o será sempre. Queremos que os outros estados também cresçam para que nosso País seja uma das maiores potências do mundo! Todavia, não me calo e não concordo com a política que impede nosso crescimento para que outros estados tomem nosso lugar. Nossa indústria já é pisoteada pela importação dos produtos chineses e agora autoridades federais acabam se voltando contra o governo de São Paulo, mandando que o mesmo suspenda os incentivos dados às empresas que produzem computadores, notebooks, tablets, celulares, etc., em nosso Estado. Por que somos grandes não temos direito à legítima defesa? São Paulo é grande e valente e jamais será uma simples recordação!

Primeira-dama

Edison Lins

Servidor público, Campinas

Satisfação ao ler a entrevista (2/11) de Sandra Ciocci Ferreira, mulher do prefeito eleito, Jonas Donizette, que, com firmeza, (...) rejeita salário e cargo social, mas é afirmativa no tocante aos aspectos da cultura. Área tão sofrida nesta cidade berço da cultura. Importante também destacar a sua formação acadêmica. Bom sinal para esta Campinas que tanto se indignou na gestão passada. Que a professora Sandra possa ter como inspiração, quer na cultura ou no social (penso que inevitável), a professora Ruth Cardoso, socióloga, mulher de FHC, que cujo trabalho se pautou pela busca e pela construção da cidadania, da autonomia e sem a fatídica tutela e sem o populismo do atraso.

Habitação

Augusto Barretto

Empresário, Campinas

O sistema de prioridade de moradia em Campinas tem que mudar urgentemente. A tática dos invasores motivados pelo PT, CUT, MST, etc. é levar vantagens sobre outras pessoas humildes e necessitadas. Estes grupos de desordeiros, patrocinados pelo governo federal, têm que acabar. A lista de espera deve ser priorizada para quem não tem ficha de invasor.

Eleições

Jeferson Rodrigues de Faria

Professor, Campinas

Fui candidato a vereador nesta eleição e gostaria de parabenizar os 721 candidatos que participaram da mesma, pois se o voto é um direito, representar a população também o é. Só nós sabemos o que foi passar pelo crivo da Justiça Eleitoral, provando que somos ficha limpa, e, pelo momento político que atravessa nossa cidade, enfrentar o descrédito de parentes e amigos. Independentemente de ter sido eleito ou não todos somos vencedores, e que isso sirva de estímulo para as próximas eleições.

Aposentadorias

Alcinio S.Daher

Professor, Campinas

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT/RS), comunicou que pretende colocar em votação o PL 3299/08, referente ao fim do Fator Previdenciário, utilizando as fórmulas 85/95 para mulheres e homens respectivamente (a soma da idade mais o tempo de contribuição tem que atingir esses números). Só que ele nem tocou no assunto do PL 4434/08 (que era PLS 58/03) aprovado por todos senadores e que está engavetado. (…) Paulo Paim (PT/RS), autor do projeto, disse que dinheiro tem, só que é utilizado em outros setores. O projeto visa devolver em 5 anos o mesmo nº de salários mínimos que o aposentado recebia quando se aposentou (1/5 ao ano). Quatro anos e meio na Câmara para ser votado! (...)

Cultura

Fernando Aurelio Ribeiro Ferraz

Empresário, Campinas

Que as atividades ligadas à música do vice e da esposa do prefeito eleito de Campinas sirvam de alento para que a população de Campinas de fato possa ter resgatada a dívida do Poder Público com o direito dos seus cidadãos de terem acesso à cultura. Que políticas públicas venham criar, recuperar e disponibilizar espaços não só para apresentações de espetáculos de qualidade e de artistas renomados, mas também para que grupos e jovens possam apresentar suas criações e trabalhos, sejam através de suas obras de arte, grupos teatrais e de dança e no campo da música, individualmente ou por suas bandas. O Executivo não pode continuar omisso e negligente, e que espaços culturais (...) sejam recuperados e disponibilizados a serviço da cultura.