Publicado 27 de Novembro de 2012 - 5h00

Por Correio

Criminalidade 2

Jecer de Souza Brito

Escritor, Campinas

Vivemos hoje em todo o Estado de São Paulo um problema grave em relação a segurança, que está sendo noticiado por todos os meios de comunicação. Enfim, como resolvê-lo? Não podemos perder o fio da meada e devemos saber que todos os problemas de um indivíduo ou de uma sociedade, cujo indivíduo é o núcleo, advém da sua capacidade intelectual de controle, que é seu pensamento. Entretanto, nós temos que formar pensadores, pois, não nascem pensando e os núcleos de formação são: a família, que infelizmente esta desestruturada, a religiosidade, que vem se transformando em moeda de troca e a escola, que está um verdadeiro caos. (…) O fio da meada é formação e o que temos é apenas informação que não tem nada a ver uma coisa com a outra.

Campo Grande

Cecílio Serafim dos Santos

Assis. administrativo, Campinas

Em relação à matéria do Correio, Caça a verbas, de 23/11, espero que o prefeito eleito, ao assumir em 1º de janeiro, não esqueça as prioridades da Região do Campo Grande, além do corredor de ônibus, pavimentação nos bairros e saneamento são ações imediatas. Tais projetos têm impacto direto na saúde e, portanto, na qualidade de vida de toda a população.

Viracopos

Markus Nydegger

Eng. mecânico, Campinas

Muito oportuna a carta do sr. Antonio R. Prete ( 26/11) sobre Viracopos, questionando os efeitos colaterais da expansão deste aeroporto. Não esquecer da ampliação do Campos dos Amarais, praticamente dentro da cidade , fazendo com que os aviões passem a bem pouca altitude sobre os bairros adjacentes. A recente mudança de rota das aeronaves de Viracopos fez com que grandes aeronaves cargueiras sobrevoem a região Leste da cidade até além das 23h. Progresso, desenvolvimento e geração de empregos é muito salutar, mas não à custas da qualidade de vida , meio ambiente e sossego alheios.

Anel viário

Renato Patrone

Supervisor de vendas, Campinas

É o assunto do momento. Ótima reportagem do Correio Popular. Leitores opinando com clareza, só que estamos esquecendo a fiscalização mais eficaz. Concordo plenamente que devemos ter barreiras entre as pistas, mas poucos respeitam o limite de velocidade, e a fiscalização atua com radares fixos e móveis em lugares já conhecidos dos usuários da rodovia. Evidentemente, nesses locais se obedecem os limites, passando os mesmos, “pernas prá que te quero”! Minha modesta sugestão é: ou se fiscaliza de verdade esta rodovia, ou se prepara um serviço médico de emergência muito eficiente, pois será necessário. E mais ainda, que as barreiras de proteção entre as pistas, que tenham a mesma eficiência das colocadas nas pistas de Fórmula 1, senão as mortes, principalmente de inocentes, continuarão acontecendo.

Lula 1

Marcelo Luís Pendezza

Jornalista, Sumaré

Quando li nesta coluna o depoimento do bancário aposentado Juarez Bianco, sobre o suposto enriquecimento do ex-presidente Lula divulgado hipoteticamente pela revista Forbes, colocado no status de bilionário, só posso crer que as inverdades na internet acabam criando um mundo paralelo e que muitas pessoas acabam caindo nessas mentiras do mundo digital. (…) No site da Forbes, podemos pesquisar na relação dos homens mais ricos do mundo e não há nenhuma menção a Lula. Buscando apenas por brasileiros, encontramos 36 bilionários (…) em 2012, também não há o nome do ex-presidente. Portanto, antes de sair propagando informações, vamos checar as fontes e a sua autenticidade, afinal, a flecha lançada e a palavra dita não costumam voltar.

Lula 2

Carlos Francisco de Paula Neto

Adm. de empresas, Campinas

Longe de mim defender o ex-presidente Lula, de qualquer acusação que seja (eu nunca o engoli e continuo não engolindo), mas informações equivocadas devem ser corrigidas. O leitor Juarez Bianco afirmou nesta coluna que Lula consta da lista da revista americana Forbes como um dos homens mais ricos do mundo. Não consta, caro Juarez, nem na lista dos 700 mais ricos do mundo. Boatos como esse povoam a internet e sempre devem ser bem avaliados antes de serem levados a sério. Se quiser confirmar, está tudo aqui: http://www.forbes.com/billionaires/

STF1

Jurandir Vicente

Motorista, Campinas

Oportuno o editorial “A esperança de mudanças e o novo STF”. A medida que os ministros começam a demonstrar transparência de suas funções, a valorização desse pilar da democracia é evidenciada. A sociedade precisa debater, essa função da presidência da República de nomeação dos ministros do STF, por criar vínculo que tiram e inibem a imparcialidade que se espera da Corte. (...) Não é justo generalizar, cada magistrado responde por si e com uma visão singular, que merece respeito.

A postura coerente do ministro Joaquim Barbosa, cria uma expectativa quanto a sua consciência institucional, o credencia a exercer uma liderança democrática, não centralizadora com humildade e respeito aos colegas do Supremo. (...)

STF 2

Izabel Silva Souza

Contabilista, Campinas

Quero parabenizar o sr. Joaquim Barbosa pelo seu trabalho no caso do Mensalão, o que lhe rendeu o cargo de presidente do Supremo Tribunal da Justiça. Estou muito feliz em ter dois presidentes da raça negra no alto escalão do poder. Um, presidente dos Estados Unidos, país considerado o maior do mundo, Barack Obama, e o outro, no posto mais alto, como ministro do Tribunal da Justiça. (…) Quem sabe o sr. Joaquim Barbosa se habilita ao mais alto cargo, o de presidente da Republica? O primeiro passo já foi dado, que é ele como presidente do STF. Espero que isso aconteça um dia.

S.O.S. Lagoa

Henry Charles Ducret

Advogado, Campinas

O problema é velho e conhecido. Já tivemos oportunidade neste mesmo espaço de denunciar e demonstrar a falta de moralidade pública, ocasionando danos de real monta e quase irreparáveis no assoreamento da lagoa, nosso cartão-postal, hoje fétida e mal cheirosa. Existia por lá uma tabuleta que falava em milhões de reais gastos para o seu desassoreamento, mas as máquinas velhas, obsoletas e a mão de obra não resolveram. A tabuleta enorme e publicitária foi retirada e o dinheiro foi parar nos ralos da impunidade e total desrespeito a população.É hora de cuidarmos do que é nosso, para depois pensar no que é dos outros. Ainda há tempo de corrigir e salvar o esplendoroso patrimônio que também é seu, por direito.

Trem-bala

Pedro Luiz Marchesini de Padua

Engenheiro, Campinas

Perfeita a avaliação do professor Creso Peixoto. Nós não precisamos de um caríssimo trem-bala. Precisamos tão somente de um sistema de transporte ferroviário confiável e seguro, em que sejam investidos os valores destinados a custear os riscos dos possíveis interessados no trem-bala nas reformas e melhorias de nosso sistema ferroviário e estaremos todos bem servidos.

Escrito por:

Correio