Publicado 26 de Novembro de 2012 - 5h00

Petrobras

Beatriz Campos

Professora, Campinas

Onde será que se escondeu o milagre do pré-sal tão divulgado pela propaganda maciça do ex-presidente 'Lulla' nos últimos dez anos? A Petrobras, depois que foi “privatizada” para o PT, saiu rapidinho do ranking de primeira empresa brasileira e perdeu o título para a Ambev. A bacia de Campos está em plena desaceleração da produção por falta de investimento e má administração. Daqui a pouco, outras estatais virão atrás igual dominó. A Eletrobrás deverá ser a próxima. Como é possível que uma empresa de fabricação e distribuição de bebidas passe na frente da Petrobras, que explora, refina e distribui gasolina e óleo diesel para todo o País? Quem bebe mais? A população ou os automóveis? Tem coisa errada aí.

Acidentes

Rota das Bandeiras

Assessoria de imprensa, São Paulo

Em atenção a carta do sr. Sérgio Antônio Lourenço, a Concessionária Rota da Bandeiras S.A. esclarece que a Rodovia José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083) está dentro dos padrões de segurança e que se há especialistas que estudam segurança viária e especificam normas, nós as seguimos. Essa é a nossa obrigação. Além das normas obrigatórias, realizamos estudos em casos de acidentes graves e, caso seja constatada a necessidade, implantamos por conta própria outros dispositivos de segurança, necessidade a qual não foi identificada no ponto em questão. Além disso, focamos fortemente as campanhas de conscientização dos motoristas, pois, como o próprio especialista ouvido na reportagem citada na carta reforça, a maioria dos acidentes ainda acontece por falhas humanas.

Violência

Tércio Sthal

Servidor público, Campinas

As pessoas estão com “problema epidérmico” em relação à corrupção e à violência que se estabelecem em nosso País, e cansadas das falácias e frases de efeito expressas nos inócuos

discursos dos seus governantes. Enquanto discursam, as fronteiras de nosso País continuam abertas

a admitir a entrada de armas e drogas e a saída de cargas, caminhões e veículos de passeio roubados. (…) Srs. governantes, o que as pessoas querem é ação eficaz, resolubilidade via efetivação de políticas públicas que combatam a miséria, a corrupção, a criminalidade e a violência. Ninguém aguenta mais tanta demagogia e ineficiência.

IML

Carla da Silva

Assistente social, Vinhedo

(…) Precisei reconhecer o corpo de um parente meu no IML-SVO de Campinas, no Cemitério dos Amarais, e fiquei surpresa com o verdadeiro abandono do lugar. O chão estava coberto de sangue, segundo um funcionário, porque os ralos estavam entupidos há bastante tempo. Os corpos estavam em carrinhos porque não havia espaço nas mesas. Havia corpos há dois, três dias, esperando nas mesas em virtude dos feriados.(...) Questionei os funcionários, e todos diziam que era normal. Como? Até que um deles nos informou que existe um projeto para uma reforma do prédio, mas que isso é promessa, e que não tem nem previsão se acontecerá. Fiquei inconformada com o descaso para com nossos entes queridos no momento mais triste da vida.

Caso Bruno

Nei Silveira de Almeida

Aposentado, Belo Horizonte

O julgamento do goleiro Bruno e asseclas sobre a morte de Eliza Samudio revela o que virou a Justiça brasileira: artifícios em cima de artifícios estratégicos, utilizando-se de brechas e válvulas de escape que foram criadas no curso do tempo, transformaram o julgamento em um pandemônio indescritível, que ao final de adiamentos de datas, separação de réus, trocas de advogados, uma sentença condenatória será definida, mas que os réus acabarão cumprindo as penas em liberdade porque sendo réus primários, salvo Bola, e por já terem cumprido um sexto, outros artifícios inexplicáveis e inaceitáveis que foram criados nestes anos de esfacelamento do Judiciário. Razões pelas quais impera a impunidade e a criminalidade está impossível de ser combatida. Colocando tudo isso em cima da mesa, constatamos que a reforma do Judiciário é urgentíssima. (...)

Viracopos

Antonio Roberto Prete

Despachante, Campinas

Que maravilha, todo mundo contente com a expansão do Aeroporto Internacional de Viracopos. A mídia só fala disso. Mais dinheiro para a cidade via impostos, mais empregos e mais movimento financeiro. Tudo bem, tudo ótimo, só que não vejo ninguém discutindo os efeitos colaterais dessa futura expansão. E quais serão eles? (…) Primeiro, como as pessoas vão se deslocar para o aeroporto?(...) Segundo, quem vai arcar com o prejuízo ambiental que essa expansão provocará? Terceiro, como ficaremos nós moradores das proximidades do aeroporto, tendo que suportar o ruído constante que as aeronaves provocam(...)? Precisamos convocar a sociedade civil para discutir e equacionar essas questões, caso contrário, a qualidade de vida dos moradores de Campinas será duramente afetada.

DPJ

Departamento de Comunicação

Prefeitura Municipal de Campinas

Segue uma resposta sobre a carta do leitor Antônio Zani (17/11): O Departamento de Parque e Jardins (DPJ) realiza diversas ações na manutenção do verde da cidade. Ele é o responsável não somente pelas podas de árvores e extrações (quando necessárias), como também cuida da manutenção de mais de 2,1 mil praças, 26 parques e bosques e ainda de 6 milhões de metros quadrados de áreas verdes de crescimento espontâneo. Com relação as solicitações encaminhadas pelo 156, o departamento realiza vistoria e emite laudo técnico para cada uma delas. Já que a última solicitação do leitor foi feita em 2007, pedimos que ele entre contato com o departamento novamente para que uma nova vistoria seja feita.

Política

Fernando Geraldo Marin de Souza

Advogado, Campinas

Já repararam que por trás dos inúmeros problemas públicos temos a política e os políticos? Ela sobrevive por meio deles e eles não existiriam sem ela. Enquanto isso, nós, pobre mortais, somos alvos, objetos e vítimas de tudo o que a relação promíscua entre ambos produz. O que fazer?

Praça

Mônica Delfraro David.

Psicóloga empresarial, Campinas

A pracinha que fica no Balão do Kennedy está muito linda. Não sei se é adotada ou administrada pela Prefeitura mesmo, só sei que está digna de visitação com direito a fotografia. Parabéns para quem cuida dela.

Veríssimo

Edson Esposito

Professor, Campinas

Em 22/11, após ler o artigo de Luís Fernando Veríssimo, pensei em escrever um texto elogiando o escritor. Meia hora depois, recebi pelo twitter a notícia de que ele havia sido internado. É muito triste pensar que Veríssimo está hospitalizado. Estamos aqui, torcendo pela sua recuperação para que ele continue a alegrar nosso espírito com seus brilhantes artigos.