Publicado 29 de Novembro de 2012 - 13h12

Tráfico de Animais

Divulgação

Tráfico de Animais

Depois do tráfico de drogas e armas, o tráfico de animais é a atividade clandestina que mais gera dinheiro no mundo – cerca de 20 bilhões de dólares por ano.

É caracterizado como tráfico de animais a ação de tirá-los do seu habitat natural e comercializados.

Os principais destinos desses animais são zoológicos, colecionadores e até para a confecção de roupas com as peles de bichos como a onça-pintada, jacarés e cobras.

Conforme dados do IBAMA, cerca de 90% dos animais silvestres retirados da natureza morrem no transporte ou logo após chegarem ao seu destino.

Um número muito parecido é com relação a comercialização nacional desses animais: 90% dos bichos capturados são vendidos em terras brasileiras.

Apesar de ilegal, o tráfico de animais é prejudicial para a natureza.

O desequilíbrio ambiental e a mudança repentina na cadeia alimentar modifica consideravelmente a biodiversidade de um ambiente.

O crime ambiental de tráfico de animais silvestres está regulado em duas Leis e um Decreto:

Lei 5.197/67, Lei 9.605/98 e Decreto no 3.179/99, e hoje prevê pena de detenção de 6 meses a 1 ano, e multa.

 

Foto: Divulgação.

Divulgação

Tráfico de Animais

Alguns dados

-Cerca de 38 milhões de animais são retirados de seus habitats naturais por ano;

-Entre esses 38 milhões, estão aproximadamente 12 milhões de espécies distintas;

-Os animais são retirados, no Brasil, principalmente dos Estados da Bahia, Piauí, Pernambuco, Maranhão, Paraíba e Ceará;

-Os principais “consumidores” do tráfico de animais são os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.