Publicado 07 de Novembro de 2012 - 10h47

Por Guilherme Busch

A jornalista Paula Fontenelle, que foi coordenadora de mídias da campanha do prefeito eleito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), nas últimas eleições municipais, lança nesta quarta-feira, na Livraria da Vila, em São Paulo, Fim de Tarde com Leões (Geração Editorial), seu terceiro livro.

Pernambucana do Recife, a autora vive em São Paulo. Formada em jornalismo na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), tem na bagagem a participação em campanhas de nomes de peso na política nacional, como do ex-governador José Serra (PSDB). Já foi também finalista do Prêmio Jabuti, em 2009, com Suicídio: um futuro interrompido, seu segundo livro.

A escritora escolheu um formato diferenciado para Fim de Tarde com Leões, que marca sua estreia em romances. Ela mostra uma série de cartas trocadas por um casal separado e que, anos depois, volta a manter contato.

As cartas são reais e foram escritas por ela e um amigo, que prefere não ter sua identidade revelada — o que confere um certo ar de mistério à obra. O nome P.W. Guzman, que aparece como coautor, é um pseudônimo para esse amigo “anônimo”.

Paula e Guzman, ou Lúcia e Pedro, passaram cerca de um ano trocando mensagens para formatar o projeto. O conteúdo das correspondências (sempre por e-mail) nunca foi combinado. “Nós acertamos que iríamos desenvolver o projeto e na semana seguinte começamos. Para se ter uma ideia, os nomes Lúcia e Pedro só apareceram no meio do livro”, disse Paula.

No livro, ela é uma fotógrafa de moda famosa que fica desempregada e chega a enveredar pelo mundo da pornografia. Guzman é um funcionário público de difícil acesso (talvez um espião) e que vive em meio a missões misteriosas pelo mundo, principalmente no continente africano.

O projeto

O projeto levou cerca de cinco anos para sair do papel. “A ideia surgiu em 2007, quando eu ainda estava escrevendo meu último livro. Mas o convite para a troca de cartas só foi feito ao Guzman em 2009”, disse. No livro está, segundo Paula, todo o material das cartas. “Todas estão publicadas na íntegra. Não houve seleção de material ou qualquer tipo de edição.”

“Fiquei feliz com o resultado porque nunca tinha pensado em escrever ficção. Como jornalista, tinha a cabeça voltada para obras de reportagem, com muita pesquisa, entrevistas, apuração de dados. De repente surgiu a ideia de escrever a quatro mãos e senti um desejo imenso de dar prosseguimento. Hoje, olho para o livro e ainda é difícil de acreditar.”

Quem é ele?

Quando a identidade do parceiro é o assunto, Paula já tem as respostas engatilhadas. “Guzman foi o pseudônimo escolhido por ele. É um amigo querido de longas datas, sempre sonhei em criarmos algo juntos. Então, quando surgiu essa ideia, sabia que teria que ser com ele. Desde o começo, me pediu para permanecer anônimo, algo que respeitarei sempre.” Segundo ela, Guzman teve uma atitude marcante no final da obra. “Ele me deu o livro de presente dizendo que não queria aparecer ou participar dos direitos autorais. Como poderia trair sua confiança e revelar seu nome depois de tantas demonstrações de lealdade?.”

O coautor misterioso, no entanto, escreve a orelha do romance. “Também me surpreendi com o resultado do trabalho, sobretudo com a guinada, de estilo e gênero literário, no final da história”, afirmou Guzman, por meio da assessoria de comunicação da editora Geração. “Nem a editora sabe quem é ele”, afirmou Paula. Segundo a Geração, Guzman falou por e-mail sob a promessa de não ter revelado seu endereço eletrônico.

Agende-se  

Lançamento do romance Fim de Tarde com Leões, de Paula Fontenelle (Geração Editorial, 272 págs., R$ 29,90)

Quando: Hoje, às 18h30

Onde: Livraria da Vila (Rua Fradique Coutinho, 915, Pinheiros, São Paulo, SP, fone (11) 3814-5811) 

Escrito por:

Guilherme Busch