Publicado 11 de Novembro de 2012 - 5h00

Batata com um toque de limão

Henrique Nunes/AAN

Batata com um toque de limão

Quando a Julia, da Osteria Salvatore, perguntou se eu já conhecia o Bar do Mineiro respondi em tom de piada. “Qual dos 30 Bar do Mineiro da cidade você diz?”.

Ela riu, mas deixou claro que a indicação era pra valer.

“Estou falando do legítimo, o melhor de todos eles.” E olhem só a ironia. Parti rumo à birosca com o endereço nas mãos e logo eu e o Mineiro proseávamos como dois amigos de infância numa das mesas do lado de fora, ambos devidamente acompanhados de um copo de cerveja.

Só quando a conversa deu uma esfriada resolvi perguntar para ele a cidade em que nasceu. “Mococa”.

Pois é. O Mineiro mais mineiro de Campinas, na verdade, nasceu na divisa de São Paulo com Minas Gerais. Por sorte, resolveu fincar-se culturalmente do lado de lá, que nos supera e nos influencia com sua baixa gastronomia legítima e saborosa.

No Bar do Mineiro, como se vê, nem tudo é exatamente como manda o figurino. A receita de caldinho de feijão, por exemplo, tão mineira quanto ele, ganha toques pessoais que arrastam multidões até de madrugada no boteco. E acreditem: nem mesmo o calor cada vez mais forte tem feito a freguesia abdicar-se do prato.

Eu preferi me dedicar à batata à moda da casa. A belíssima criação da dona Maria Luíza, mulher do mineiro, é deliciosa, sobretudo pela presença de alho crocante por cima e um toquezinho de limão que muda toda a história.

O cardápio ainda tem bolinho de carne-seca e pizza de forno, esta última também exclusividade da casa.

Outro item indispensável do boteco, mas que não está no cardápio, é o seu horário de funcionamento. Embora oficialmente fique aberto até as 2h, quem estiver do lado de dentro pode ficar tranquilo: o Mineiro jamais vai mandar alguém embora.

BAR DO MINEIRO

Avenida Marechal Rondon, 813, Chapadão, f. 8104-1348. Aberto de terça a domingo, das 18h até as 2h.