Publicado 11 de Novembro de 2012 - 5h00

Vestidos da coleção Inverno 2013 de Glória Coelho, apresentados na última São Paulo Fashion Week

Divulgação

Vestidos da coleção Inverno 2013 de Glória Coelho, apresentados na última São Paulo Fashion Week

Vestidos da coleção Inverno 2013 de Glória Coelho, apresentados na última São Paulo Fashion WeekMulheres falam muito sobre curingas no armário: é o terninho preto ou o pretinho básico. O blazer grafite que vai com tudo, a camisa branca... Mas já reparou como nunca ninguém fala de vestido básico? Não, não estou falando do pretinho que nos transforma em mulheres uniformizadas nos coquetéis. Pense num vestido com cara de vestido mesmo, não de uniforme. Uma peça feminina, mole, que nos abrace o corpo e as pernas e farfalhe à medida que nos sentamos ou andamos.

Que nos mostre como mulheres sedutoras e não robôs eficientes. Não, esqueça o sexy. Nada de superexposição, de pernas ou tecidos colados à bunda. Sensualidade sem erotismo. O vestido realmente elegante é sutil e feminino. Libera os movimentos. E, eventualmente, a imaginação também. Escolha o tecido: rústico, nobre, natural ou sintético, mas tem que ser mole. Para abraçar, moldar e liberar se preciso for.

_ Escolha a cor: nada de preto. Eu disse cor – qualquer uma – desde que se destaque na paisagem preto/cinza reinante. E escolha um modelo: pode ser curto, longuete, longo – todos estão na moda. E até mesmo os longos em tecidos despojados estão liberados para ser usados durante o dia.

_ É bom lembrar também que os vestidos que temos visto nas passarelas e vitrines atendem perfeitamente a essa tendência: são uma evolução dos vestidos usados na década de 1960 e início de 1970. Se antes eram em algodão estampadinho, hoje os materiais são muito mais interessantes: seda, organza e chiffons farfalhantes ou mesmo alguns jérseis mais práticos e de ótimo caimento.

 

_ Onde as estampas antes eram apenas florais e bucólicas, hoje podemos escolher entre a releitura das formas abstratas, os geométricos ou mesmo motivos que lembram desenhos a mão livre. Os novos vestidos, em tecidos fáceis e usados durante o dia, são muito mais glamorosos do que qualquer alternativa que se apresente na forma de calças, bermudas, shortinhos ou saias.

 

_ Podem remeter à estética oriental ou africanas. Sempre que bordados, o material usado é de ótima qualidade fazendo que o menor detalhe se torne extravagante ou requintado. As alternativas são inúmeras e todas muito femininas. Depois é só vestir e deixar que nosso lado feminino – tão atropelado pelas necessidades prementes do dia a dia – desabroche sem censura. Sem medo de ser feliz, claro.

 

_ Porque um vestido? Poderia responder apenas que é porque “está na moda” ou “emagrece e alonga a silhueta”. Mas a melhor razão para vestir um é porque os homens gostam. Simples assim e que me atirem pedras as feministas - mas essa é uma ótima razão.

 

_ Além do mais, um bonito vestido, faz com que nos sintamos melhor, mais femininas, mais sedutoras, mais... tanta coisa! Basta pensar que, quando escolhemos um que nos valorize, a passagem da profissional eficiente (e atraente, por que não?) durante do dia para a mulher sedutora e irresistível noite afora, fica muuuuito mais fácil...