Publicado 07 de Novembro de 2012 - 22h05

O jornalista Carlo Carcani Filho

Rodrigo Zanotto/AAN

O jornalista Carlo Carcani Filho

O Guarani superou o ASA, interrompeu um jejum de dez rodadas sem vitórias e, para completar a terça-feira perfeita, viu Guaratinguetá, Bragantino e CRB perderem seus jogos. O risco de rebaixamento despencou para 1% e o clube terá tranquilidade nas três partidas que lhe restam.

 

A primeira vitória do time sob o comando de Vilson Tadei só veio em sua quarta partida. Nas três primeiras (empate com o Atlético-PR e derrotas para Criciúma e Guaratinguetá), a equipe até teve chance de vencer. Mesmo assim, o treinador resolveu fazer mudanças, algumas inesperadas, e se deu bem.

 

Oziel e Danilo Sacramento fizeram um excelente Campeonato Paulista, mas ficaram abaixo da expectativa na Série B. Tadei, então, escalou Medina e Fabrício. Na frente, tirou o artilheiro Schwenck para dar a 9 a Ronaldo. E no lugar de Fernando, suspenso, optou por Montoya, ao invés de Arroz, o titular no final do trabalho de Vadão. Por fim, em uma decisão não menos importante, levou Clebinho para o banco. Deu certo.

 

É bem verdade que Gílson colaborou para o belo gol de Clebinho e que Montoya manteve a tensão até o apito final ao cabecear contra as redes de Emerson, mas nada disso tira o mérito da postura do treinador.

 

Um técnico que muda o time todo a cada um ou dois fracassos corre o risco de perder a confiança do elenco, mas o treinador que permite a acomodação do “time titular” também pode ter problemas.

 

Tadei teve coragem de mudar peças importantes em um jogo decisivo (a terça foi perfeita, mas também poderia ter sido trágica) e fez sua parte para que o Guarani voltasse a vencer. Medina jogou bem, Fabrício já marcou um gol em sua primeira partida como titular e Clebinho é um dos melhores jogadores do elenco.

 

Ronaldo lutou como sempre. Não teve um ano feliz e não caiu nas graças da torcida, mas nunca se deixou abater pelas críticas e sempre se entregou em campo. Montoya foi infeliz no gol contra, mas também mostrou que é uma opção para o treinador.

 

Enfim, Vilson Tadei não fechou o treino de segunda-feira à toa. Seu trabalho, porém, não termina aí. Cabe a ele trabalhar para que Danilo e Oziel, por exemplo, voltem a render bem. Só assim ele terá boas opções para fazer um bom Paulistão em 2013.