Publicado 08 de Novembro de 2012 - 9h05

Por Agência Brasil

Aurelia López conforta seu filho Alex Fuenteswho, ferido no terremoto de San Marcos, no sudoeste da Guatemala

France Presse

Aurelia López conforta seu filho Alex Fuenteswho, ferido no terremoto de San Marcos, no sudoeste da Guatemala

Pelo menos 48 pessoas morreram nesta quarta-feira (7) na Guatemala, devido ao terremoto de 7,2 graus na escala Richter que atingiu parte do país. Há ainda 23 pessoas desaparecidas. Em memória das vítimas, o presidente guatemalteco, Otto Pérez Molina, decretou três dias de luto, depois de visitar as áreas afetadas pelos tremores. "A dor é generalizada em nossos corações", disse Molina.

O risco de novos abalos sísmicos ainda é presente nas regiões de San Marcos, Quetzaltenango, Sololá e Retalhuleu, que estão sob alerta vermelho. Cerca de 6,6 milhões de pessoas vivem nessas áreas. Pelas informações preliminares, 207 mil pessoas foram afetadas pelo terremoto. "Por enquanto, a situação está sob controle", disse o presidente da República.

O governo colocou em ação um plano de ajuda às vítimas, dando prioridade às buscas aos 23 desaparecidos, à garantia de assistência médica e alimentos às populações afetadas, preservando o abastecimento de energia e água.

O epicentro do terremoto ocorreu a 163 quilômetros de área próxima à Cidade da Guatemala, capital do país, destruindo casas e deslocando pessoas.

*Com informações da agência pública de notícias da Guatemala, AGT

Escrito por:

Agência Brasil