Publicado 08 de Novembro de 2012 - 17h28

Por Agência Estado

Dias depois de membros da oposição terem pedido à Procuradoria Geral da República a abertura de inquérito para apurar sua suposta participação no esquema conhecido como mensalão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prepara-se para deixar o País em viagem institucional. Entre 16 e 23 deste mês, o ex-presidente visita três países africanos - África do Sul, Moçambique e Etiópia -, e estica a viagem à Índia, no continente asiático, cumprindo agenda do Instituto Lula, do qual é presidente de honra. Lula deixa o Brasil no feriado do dia 15 e retorna no dia 24. A abertura da investigação foi pedida após Lula ter sido citado em novo depoimento dado pelo empresário Marcos Valério, réu condenado no processo, como suposto beneficiário do esquema. Até a tarde desta quinta-feira, a PGR não tinha se manifestado sobre a representação.

 

Na viagem, o ex-presidente encontra-se com chefes de Estado, dirigentes sindicais, lideranças populares e empresários para discutir, entre outros temas, ações de combate à fome. O roteiro seria cumprido no ano passado, mas teve de ser adiado em função do câncer diagnosticado na laringe de Lula. Com sua recuperação, ele decidiu retomar a agenda. O Instituto Lula desenvolve, desde sua criação em 2011, um trabalho de aproximação com países do continente africano, segundo a assessoria. Lula encontra-se com os presidentes da África do Sul, Jacob Zuma, e de Moçambique, Armando Guebuza, e ainda com os primeiros-ministros da Etiópia, Hailemariam Desalegne, e da Índia, Manmohan Singh.

 

Na visita que fará à sede da União Africana, na Etiópia, o ex-presidente tratará do encontro organizado pela Fundação das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), com apoio do instituto brasileiro, a ser realizado em março de 2013, naquele país, para discutir ações de combate à fome na África. Na Índia, onde encerra o roteiro internacional, Lula receberá o prêmio Indira Gandhi para a Paz, que lhe foi concedido em 2010, ainda na Presidência, em reconhecimento pelo reforço nas relações entre as nações em desenvolvimento. Em conferência no Nehru Memorial, ele fará discurso em homenagem a Jawaharlal Nehru, líder da luta pela independência indiana.

Escrito por:

Agência Estado