Publicado 08 de Novembro de 2012 - 15h47

Por Agência Estado

O Supremo Tribunal Federal (STF) fixou em 3 anos a pena para Cristiano Paz pelo crime de peculato por desvios de recursos na Câmara dos Deputados e em 2 anos e 6 meses pelo crime de corrupção ativa pela propina destinada ao deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), então presidente daquela Casa. Cristiano Paz é ex-sócio do empresário Marcos Valério.

 

As duas penas fixadas foram propostas pelo relator, ministro Joaquim Barbosa, que foi acompanhado pela maioria dos ministros. Neste caso, o ministro Ricardo Lewandowski não votou por ter absolvido o réu. Ficou vencido em ambos os casos o ministro Cezar Peluso, que adiantou seu voto antes da aposentadoria, ainda em agosto, propondo penas de 2 anos para cada crime.

 

Cristiano Paz já teve a pena fixada também por formação de quadrilha, em 2 anos e 3 meses. Resta ainda o julgamento das acusações de lavagem de dinheiro, peculato, por desvios no Banco do Brasil, e corrupção ativa pela propina paga ao ex-diretor do BB Henrique Pizzolato e a parlamentares.

Escrito por:

Agência Estado