Publicado 05 de Novembro de 2012 - 14h00

Por Moara Semeghini

Carla Cepollina, de 46 anos, acusada de matar o coronel Ubiratan Guimarães, vai a juri popular nesta segunda-feira (5), no Fórum Mário Guimarães, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo.

Ela era a namorada do coronel que foi morto com um tiro na barriga em seu apartamento, nos Jardins, por volta das 19h30 do dia 9 de setembro de 2006. Ubiratan Guimarães ficou conhecido por comandar a operação da Polícia Militar que terminou com a morte de 111 detentos durante uma rebelião no pavilhão 9 do presídio do Carandiru, em 1992.

Segundo a acusação, Carla matou por ciúmes. A advogada, que responde ao processo em liberdade, sempre negou as acusações. O promotor João Carlos Calsavara disse estar certo de que foi Carla quem cometeu o crime.

O julgamento começou às 13 h e pode durar até cinco dias.

(Com Agência Estado) 

Escrito por:

Moara Semeghini