Publicado 07 de Novembro de 2012 - 14h41

Por France Press

Porto Rico votou pela primeira vez em sua história contra a atual relação de Estado Livre Associado que mantém com os Estados Unidos e a favor da anexação, segundo dados da Comissão Eleitoral da ilha divulgados nesta quarta-feira.

 

Com 95,7% dos votos apurados, 53,9% dos eleitores porto-riquenhos disseram "não" estar de acordo com a "condição política territorial atual" da ilha em relação aos Estados Unidos, frente a 46% que disseram "sim".

 

Sessenta e um por cento do eleitorado se pronunciou a favor da anexação, segundo a Comissão Estatal Eleitoral (CEE).

 

Nas três consultas anteriores sobre seu estatudo, realizadas em 1967, 1993 e 1998, os porto-riquenhos rejeitaram ser incorporados como o estado de número 51 dos Estados Unidos, preferindo manter o Estado Livre Associado (ELA), aprovado em 1952.

 

A CEE, que previa uma participação de 2,4 milhões de eleitores, disse que votaram 1,8 milhão de pessoas (77,7%) no referendo sobre o estatuto realizado em paralelo às eleições gerais nesta ilha de 3,7 milhões de habitantes.

 

Os porto-riquenhos, apesar de serem cidadãos americanos desde 1917, sob o atual estatuto de ELA não têm direito a votar nas eleições presidenciais dos Estados Unidos enquanto residirem na ilha, nem têm direito a representação no Congresso, que aprova leis que os afetam.

 

Da mesma forma, o governador Luis Fortuño, promotor da consulta (que não tem valor jurídico), do Partido Novo Progressista e membro do Partido Republicano nos Estados Unidos, perdeu o posto para o líder da oposição e presidente do Partido Popular Democrático (PPD), Alejandro García Padilla, partidário de manter o estatuto atual.

 

Fortuño havia apoiado desde as primárias americanas o candidato republicano Mitt Romney, derrotado pelo presidente Barack Obama.

 

Romney havia prometido na campanha que, se chegasse à Casa Branca, faria o possível em Washington para que se respeitasse a vontade dos porto-riquenhos em relação à anexação, manutenção do estatuto atual ou independência.

 

Até agora o presidente Obama não se pronunciou sobre este tema.

 

A consulta de terça-feira se constitui de duas perguntas: "Você está de acordo em manter a condição política territorial atual?" - Sim ou Não.

 

Depois, independente da primeira resposta, a segunda pergunta era "Responda qual das seguintes opções territoriais você prefere: Anexação, Independência ou Estado Livre Associado Soberano, cada um com sua respectiva definição.

Escrito por:

France Press