Publicado 30 de Novembro de 2012 - 7h07

Por France Press

Diallo processou Strauss-Kahn em um tribunal civil de Nova York

FRANCE PRESS

Diallo processou Strauss-Kahn em um tribunal civil de Nova York

Dominque Strauss-Kahn, ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), e a camareira que o acusou de abuso sexual chegaram a um acordo sobre a ação civil movida pela empregada de um hotel de Manhattan, informou nesta quinta-feira The New York Times.

 

Segundo The New York Times, que cita fontes "ligadas ao caso", Strauss-Kahn e a camareira Nafissatou Diallo "chegaram a um acordo para encerrar o caso". O jornal não revela se houve um acordo financeiro entre as partes.

 

Diallo processou Strauss-Kahn em um tribunal civil de Nova York após o arquivamento da ação penal contra o dirigente francês, por falta de elementos que comprovassem o ataque sexual contra a camareira em um quarto de hotel.

 

Strauss-Kahn era considerado um forte candidato à presidência da França até a explosão do escândalo, que levou à prisão do então diretor-gerente do FMI por decisão das autoridades de Nova York.

 

O incidente provocou a renuncia de Strauss-Kahn e acabou com sua carreira política.

Escrito por:

France Press