Publicado 09 de Novembro de 2012 - 21h46

A luta entra Rafael Índio (à esq.) e Fabiano Bob Esponja será uma das grandes atrações do evento

Leandro Ferreira/AAN

A luta entra Rafael Índio (à esq.) e Fabiano Bob Esponja será uma das grandes atrações do evento

Neste sábado (10/11), a partir das 20h, o Ginásio do Guarani recebe a 4ª edição do Campinas Fight, que terá um card de 11 lutas de MMA (artes marciais mistas) e mais um duelo de muay thai. Com expectativa de público de pelo menos 2, 5 mil pessoas, o evento espera firmar-se como um dos 10 maiores do País ao selecionar lutadores técnicos da região.

A grande atração da noite será o confronto entre Rafael Índio, de 24 anos, (que nasceu em Capivari, mas vive em Campinas) contra o carioca Fabiano Bob Esponja, único lutador de outro estado a participar do evento. Para Índio, que precisou forçar a perda de peso para chegar aos 70kg da pesagem oficial, ir bem no duelo faz parte dos seus planos de decolar na carreira de lutador e partir para desafios internacionais em breve.

"Minha especialidade é o jiu-jítsu, mas com o crescimento do MMA no mundo não dá para achar que apenas uma arte é suficiente. Tenho treinado muitas outras modalidades para corrigir minhas deficiências e evoluir o mais rápido possível", avalia Índio, que tem no currículo oito lutas com oito vitórias e a experiência de ter participado da seletiva da edição de estreia do reality show The Ultimate Fighter.

As outras lutas de hoje são: Celso Oliveira x Pato Rodrigues, Daniel Caporossi x Weverton Jhon Santos, Sidney Scalco x Everton Ferreira, Danilo Gurgel x Alan Guerreiro, Johnny Camargo x Adilson Júnior, Carlos Chang x Léo Wagner, Mário Nikito x Alexandre Amaro, Guilherme Faria x Gustavo Erak, Bruno Jacaré x Atila Lourenço, Claudiere Freitas x Udi Lima e Rodrigo Cabeça x Fernando Kioshy.

Visibilidade

Promovido pelos empresários Ricardo Saldanha e Wanderley Pires Filho, o evento tem servido de trampolim para muitos lutadores de Campinas e região desde a sua primeira edição. E é justamente esta a intenção dos organizadores. "O público de hoje deve ser de quase 3 mil pessoas e isso só comprova o grande momento que o esporte está vivendo. Queremos pegar o embalo desse sucesso e mostrar que o Interior também possui muitos atletas que podem fazer sucesso em breve", avalia Wanderley Pires.

O lutador Richardson Moreira, de 28 anos, concorda. Embora não esteja no card desta edição, o atleta foi revelado dentro do octógno do Campinas Fight. "Lutei nos anos de 2009 e 2010 e acabei chamando a atenção de muitos treinadores. Hoje, faço aula entre os melhores do País e minha carreira não para de crescer. Por isso aconselho aos que vão para darem o máximo", indica Moreira.