Publicado 09 de Novembro de 2012 - 19h09

Robinho tem contrato até junho de 2014 com Milan e não pretende deixar a Itália por enquanto

Divulgação

Robinho tem contrato até junho de 2014 com Milan e não pretende deixar a Itália por enquanto

Muricy Ramalho disse nesta sexta-feira que não há condição para o Santos contratar Robinho na próxima janela de transferências internacionais, a partir de 1º de janeiro de 2013. Diego é outro jogador que o treinador considera 'muito difícil' de retornar ao clube, por custar muito caro, embora os dirigentes prometam repatriar os dois ídolos da geração de 2002 visando à formação de um supertime para 2013.

"Robinho estava entre os jogadores que o Santos tinha interesse em contratar. Diego era outro, mas as condições financeiras não dão a mínima condição. Daí, dizer que Robinho vai vir é complicado", admitiu o comandante santista, ao responder sobre os próximos reforços que o clube deve contratar, depois da chegada do zagueiro Neto, do Guarani, na quinta-feira. "Estamos trabalhando em outras frentes", acrescentou o treinador.

O advogada Marisa Alija, que cuida dos interesses de Robinho no Brasil, também não vê possibilidade de o atacante do Milan retornar ao futebol brasileiro no momento. "A gente ouve especulações, mas Robinho tem contrato até junho de 2014 com Milan, está feliz no clube e é bem tratado."

A advogada trabalha para Robinho desde 2004 e conta que o seu último contato com o jogador foi há três dias. "E ele não me disse nada sobre a possibilidade de sair do Milan. O que Robinho não esconde é a sua predileção pelo Santos e a vontade de voltar a atuar pelo clube um dia, mas sem definir data". Também Gilvan de Souza, pai de Robinho, não acredita que o filho vai voltar tão cedo ao futebol brasileiro.

A esperança dos dirigentes do Santos é de que se confirme os rumores que o Milan estaria interessado na contratação do goleiro Rafael e do meia Felipe Anderson. A inclusão de um dos dois jogadores nas negociações baixaria muito o investimento para o retorno de Robinho -  a sua multa contratual estaria estipulada em 22 milhões de euros, aproximadamente R$ 57 milhões, quatro vezes o valor recebido pelo Santos na venda de Ganso ao São Paulo.

Muricy ainda espera pela chegada de um bom lateral-esquerdo, de um armador de estilo semelhante ao de Ganso e de mais atacante. O primeiro lateral que interessou foi Eron, do Atlético-GO. "Ele ficou caro e nem sei se ainda vai dar negócio", disse Muricy. A tendência é de que se confirme a contratação de Rojas, que tanto joga na zaga como na lateral-esquerda e que custa apenas US$ 1,4 milhão (pouco mais de R$ 2,8 milhões). Para o meio-campo, Renato Augusto, do Bayer Leverkusen, da Alemanha, é o mais cotado no momento.