Publicado 06 de Novembro de 2012 - 21h34

Por Agência Estado

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo

Cedoc/RAC

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse nesta terça-feira (6), em Fortaleza, que "difícil não é fazer a Copa do Mundo em Manaus. Difícil foi fazer Manaus". Esta foi a resposta do ministro a uma pergunta de uma jornalista sobre se o Brasil terá todas condições de realizar o Mundial de 2014.

 

"Nosso País fez Brasília, fez Manaus, fez o Maracanã em dois anos, fez a Copa do Mundo de 1950 e tem todas condições para realizar um grande Mundial em 2014", afirmou. Presente à coletiva de imprensa, após uma vistoria nas obras finais da Arena Castelão, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), disse que o Estado estava preparado para fazer "uma Copa do Mundo de arromba".

 

Questionado se estaria preocupado com algumas obras da Copa, o ministro desconversou: "Se eu disser que estou preocupado, é possível que digam que alguma coisa grave está acontecendo para esta minha preocupação. Se eu disser que não estou preocupado, é possível se dizer que eu não estou nem ligando para o que está acontecendo". Por isso, destacou o ministro, "eu fujo desta expressão que pode ter interpretação dúbia e vou aos fatos".

 

Os fatos, na sua avaliação, são a necessidade de 12 estádios para a Copa do Mundo de 2014 e que eles sejam entregues entre o fim de 2013 e começo de 2014. "Até agora nós temos toda segurança de afirmar que estes estádios serão entregues", afirmou, demonstrando confiança. "É um otimismo baseado no trabalho ao qual estamos nos dedicando para fazer de melhor na Copa do Mundo, mas nem tudo é perfeito e podem acontecer alguns problemas", advertiu.

 

Rebelo fez questão de destacar que o Mundial de 2014 e a Olimpíada de 2016 trarão grandes benefícios para o Brasil. "Nosso País, com a Copa e a Olimpíada, vai gerar 3,6 milhões de empregos. É mais que a população do Uruguai. As nossas cidades vão ser beneficiadas com grandes obras que colocarão nossas cidades no calendário mundial como referência dos grandes eventos esportivos e não esportivos", disse.

Escrito por:

Agência Estado