Publicado 29 de Novembro de 2012 - 18h03

Por Agência Anhanguera

Luiz Felipe Scolari chega à seleção brasileira causando polêmica

France Press

Luiz Felipe Scolari chega à seleção brasileira causando polêmica

Ao citar o Banco do Brasil para dizer que os jogadores não poderiam ter medo de defender a seleção brasileira e encarar a pressão que vem junto com a camisa verde e amarela, o técnico Luiz Felipe Scolari arrumou de cara sua primeira polêmica no cargo. Nesta quinta-feira (29), a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) se manifestou sobre as declarações do novo técnico da seleção, assim como o Banco do Brasil.

Ao ser oficialmente empossado no cargo, Felipão afirmou: “Se não quer pressão, então é melhor não jogar na seleção. É melhor ir trabalhar no Banco do Brasil ou em um escritório”, falou. A Contraf-CUT disse que se sentiu desrespeitada e alegou que o trabalho dos profissionais da categoria envolve alta dose de pressão. Já o Banco do Brasil, por meio de nota oficial, lamenta "comentário infeliz do treinador".

“Cerca de 1.200 bancários são afastados do trabalho mensalmente, por razões de saúde, vítimas do assédio moral e da pressão violenta para que cumpram as metas abusivas de produção e vendas impostas pelas instituições financeiras, inclusive o Banco do Brasil”, diz trecho do comunicado da Contraf-CUT.

O texto do Banco do Brasil diz o seguinte: “O Banco do Brasil lamenta o comentário infeliz do técnico Luis Felipe Scolari e afirma que se orgulha por contar com 116 mil funcionários que todos os dias vestem a camisa do Banco, com as cores do Brasil, e trabalham com dedicação e compromisso para atender com excelência às necessidades de nossos clientes e do nosso País.”

Desculpas

Scolari entrou em contato nesta tarde de quinta-feira com o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, para reparar declaração feita durante coletiva de imprensa nesta manhã. No contato, Scolari lembrou que é cliente do Banco do Brasil há mais de 30 anos e afirmou que não teve a intenção de ofender os funcionários do Banco. “Eu estou lá é para pedir a colaboração do povo brasileiro à Seleção e não pretendia ofender o pessoal do Banco do Brasil. Foi apenas uma má colocação.”

 

Para Bendine, o episódio está superado e reiterou a Scolari o apoio dos funcionários do BB. “Você vai ter aqui uma família de 116 mil pessoas que estará torcendo pelo seu trabalho, que você seja muito feliz nessa nova empreitada e que traga de volta aquela alegria que você nos deu em 2002”.

Escrito por:

Agência Anhanguera