Publicado 29 de Novembro de 2012 - 8h49

Por Agência Estado

Técnico do São Paulo, Ney Franco dá instruções durante treinamento

Vipcomm

Técnico do São Paulo, Ney Franco dá instruções durante treinamento

Ney Franco ainda não sabe se enfrentará Millionarios ou Tigre na decisão da Copa Sul-Americana, mas já detectou um inimigo oculto a ser combatido na série derradeira: o nervosismo. O treinador não gostou da postura dos jogadores contra a Universidad Católica; o time por muitas vezes deixou de jogar para reclamar do árbitro Jorge Urrego.

Logo nos primeiros minutos do jogo da noite da última quarta-feira (28/11), quando o São Paulo garantiu vaga na decisão ao empatar por 0 a 0, no Morumbi, Denilson levou cartão amarelo ao peitar Peralta por entrada desleal em Wellington. O camisa 5 foi advertido pouco tempo depois ao dar uma tesoura em um adversário. O ímpeto foi contido pelo técnico no intervalo, mas o sinal de alerta ficou ligado e o tema deve ser tratado com o elenco na reapresentação nesta quinta-feira (29/11).

"Principalmente no primeiro tempo perdemos um pouco o equilíbrio por causa da força da marcação e por alguns erros de arbitragem. Sabíamos que precisávamos compensar isso. Criamos as chances, mas mais uma vez o goleiro deles fez a diferença. Mas o importante é que passamos e mais uma vez soubemos levar a vantagem do regulamento", explicou o treinador.

Até mesmo Rogério Ceni teve um momento de destempero e foi reclamar com o venezuelano de lances onde julgou ter havido deslealdade. Acabou advertido com o cartão amarelo. No entanto, o capitão tem uma visão diferente da do técnico e acha que as cobranças em campo foram adequadas.

"Acho que fomos no limite que dava, o jogo tem que ser falado e o árbitro, quando tem uma atuação ruim, você precisa falar. Acho que foi a dose certa, tivemos coragem de chamar o juiz e bater de frente com o time adversário. Nosso time é jovem, mas fomos no limite. O Luis Fabiano nem levou cartão amarelo (risos)", disse o goleiro.

Antes de voltar a se preocupar com a final, o São Paulo tem o clássico com o Corinthians no Pacaembu, no domingo (02/12), pela última rodada do Campeonato Brasileiro. A tendência é a de que Ney Franco escale a maioria dos titulares e preserve apenas jogadores ameaçados de sofrer possíveis lesões musculares.

Escrito por:

Agência Estado