Publicado 29 de Novembro de 2012 - 0h13

Por Agência Estado

Rhodolfo (à dir.), do São Paulo, dá combate em Harbottle, da Universidad Católica

Nelson Almeida/France Press

Rhodolfo (à dir.), do São Paulo, dá combate em Harbottle, da Universidad Católica

Foi suado, mas o São Paulo conseguiu a classificação à final da Copa Sul-Americana. Nesta quarta-feira (28/11), o time brasileiro empatou sem gols contra a Universidad Católica, do Chile, no estádio do Morumbi, em São Paulo, e avançou à decisão da competição pela primeira vez na história por ter empatado por 1 a 1 no jogo de ida das semifinais, na semana passada, em Santiago.

O adversário do São Paulo na final será conhecido nesta quinta-feira (29/11). Na Colômbia, o Millonarios receberá o Tigre, da Argentina. Na partida de ida, em Buenos Aires, o confronto terminou empatado sem gols. Para o clube tricolor, o melhor será o time argentino avançar, pois assim o segundo jogo da decisão será no Brasil. Caso passe o Millonarios, a grande final será em Bogotá.

Antes da final, o São Paulo tem um último compromisso pelo Campeonato Brasileiro. Já garantido na quarta colocação, o time será mandante no clássico contra o Corinthians, neste domingo (02/12), no estádio do Pacaembu.

O JOGO - Assim como aconteceu na partida de ida, em Santiago, o jogo no primeiro tempo foi muito nervoso. Mais preocupado em marcar e enervar o São Paulo, o time da Universidad Católica cometia muitas faltas. O clima nada amistoso provocou nada menos que cinco cartões amarelos - sendo que dois dos três que o time brasileiro recebeu foram por reclamação (Rogério Ceni e Denilson).

Com a bola rolando, o São Paulo mostrou mais superioridade e perdeu algumas chances claras de gol. Especialmente o meia Jadson, que teve duas oportunidades - uma para fora e outra defendida pelo goleiro Toselli, que também fez grande defesa em uma falta cobrada por Rogério Ceni. No lado chileno, pouca produtividade e nenhuma ameaça real ao gol são-paulino.

No segundo tempo, o São Paulo voltou disposto a marcar pressão para acuar o adversário. Mas teve muita dificuldade para escapar da forte e violenta marcação da Universidad Católica, que não tinha forças para atacar e conseguir o gol que poderia ser o da classificação.

Irritada com a atuação de Jadson, que perdeu mais uma grande oportunidade na cara de Toselli, a torcida do São Paulo passou a pedir a entrada do meia Paulo Henrique Ganso e foi atendida apenas aos 33 minutos. Com o ex-santista em campo, o time cadenciou mais o jogo e ainda teve duas boas chances - com Luis Fabiano e Lucas. Nos últimos minutos, os chilenos pressionaram, mas não tiraram a vaga são-paulina.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 0 x 0 UNIVERSIDAD CATÓLICA-CHI

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denilson e Jadson (Paulo Henrique Ganso); Osvaldo, Lucas e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.

UNIVERSIDAD CATÓLICA-CHI - Toselli; Álvarez, Martinez, Andia e Parot; Costa, Silva (Ovelar), Ríos (Mier) e Cordero; Peralta (Meneses) e Castillo. Técnico: Juan Lasarte.

CARTÕES AMARELOS - Rogério Ceni, Wellington e Denilson (São Paulo); Silva, Álvarez, Costa, Peralta e Andia (Universidad Católica-CHI).

ÁRBITRO - Juan Sotto (Fifa/Venezuela).

RENDA - R$ 1.303.532,00.

PÚBLICO - 55.286 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Escrito por:

Agência Estado