Publicado 28 de Novembro de 2012 - 16h24

Por Agência Anhanguera

Zé Roberto, técnico do Vôlei Amil e da Seleção Brasileira feminina de vôlei

Leandro Ferreira/AAN

Zé Roberto, técnico do Vôlei Amil e da Seleção Brasileira feminina de vôlei

José Roberto Guimarães, do Vôlei Amil, de Campinas, e da Seleção Brasileira feminina de vôlei, e Marcos Goto, treinador do ginasta Arthur Zanetti, foram escolhidos pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) como os melhores técnicos de 2012. Os dois campeões olímpicos em Londres 2012 receberão o troféu de Melhor Técnico do ano, coletivo e individual, respectivamente, durante a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, no dia 18 de dezembro, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Principal festa de premiação do esporte brasileiro, o Prêmio Brasil Olímpico homenageará também os melhores atletas do ano e os medalhistas nos Jogos Olímpicos Londres 2012.

 

O melhor técnico de esportes coletivos de 2012 é o único brasileiro tricampeão olímpico. Mesmo consagrado como campeão olímpico com a seleção masculina em Barcelona 92 e com a feminina em Pequim 2008, José Roberto Guimarães lembrará para sempre dos Jogos Olímpicos Londres 2012. A equipe feminina teve dificuldades durante o torneio. Após uma inesperada derrota para a Coreia do Sul por 3 a 0, o time correu o risco de ser eliminado ainda na primeira fase. Zé Roberto reuniu o time e cobrou a atitude de uma equipe que estava defendendo o título olímpico. “Esse foi meu título olímpico mais difícil”, afirma Zé Roberto. “Ganhar os Jogos Olímpicos é muito difícil. Mas se manter no topo é ainda mais. O seu time passa a ser a referência, o time a ser batido. É preciso encontrar motivação para treinar e se sacrificar ainda mais”, disse o treinador.

 

José Roberto Guimarães já havia conquistado o prêmio de melhor técnico de 2008. Após o ouro em Londres 2012, Zé Roberto sabia que concorreria mais uma vez. “Me sinto muito feliz e honrado em receber mais uma vez o prêmio de melhor técnico do ano. Principalmente por ter conquistado esse prêmio representando o meu país. Ter esse reconhecimento é motivo de grande orgulho pra mim”, afirmou o treinador, que enumera três fatores que o fazem seguir motivado, mesmo após conquistar tantos títulos. “Representar o meu país; colocar o Brasil no alto do pódio; e o gosto pela vitória”, explica José Roberto.

Escrito por:

Agência Anhanguera