Publicado 28 de Novembro de 2012 - 10h33

Por France Press

Piloto da Willimas Bruno Senna durante GP de Interlagos, em São Paulo

France Press

Piloto da Willimas Bruno Senna durante GP de Interlagos, em São Paulo

Valtteri Bottas foi confirmado nesta quarta-feira (28) como companheiro de Pastor Maldonado na Williams em 2013. O finlandês de 23 anos, que substitui Bruno Senna, participou de 15 sessões de treinos livres nesta temporada.

 

Bottas venceu a GP3 em 2011 e não competiu em nenhuma categoria neste ano. Na Williams desde 2010, o piloto é empresariado pelo diretor-executivo do time, Toto Wolff. “Sempre sonhei em competir na F-1. Fazê-lo com uma das equipes mais lendárias do esporte é incrivelmente especial. Realmente curti meus três anos na Williams até agora e me sinto em casa”.

 

O finlandês, assim como seu novo companheiro, Pastor Maldonado, que inicia sua terceira temporada pelo time de Grove, receberam os elogios de Frank Williams. “Temos dois dos talentos mais animadores do automobilismo e estou especialmente animado pelo que 2013 pode trazer à Williams. Pastor sempre demonstrou um grande ritmo e o vimos amadurecer como piloto neste ano. Valtteri é simplesmente um dos jovens mais talentosos que já vi e espero grandes coisas dele no futuro”.

 

Williams ainda agradeceu Senna “por seu trabalho duro no último ano e desejo a ele a maior sorte para seguir em frente”. O futuro do brasileiro segue indefinido.

Bruno Senna

Bruno Senna não se mostrou surpreso com o anúncio de que será substituído por Valtteri Bottas na Williams ano que vem. O brasileiro aproveitou para agradecer a oportunidade e destacou seu crescimento nesta temporada.

 

“Desde o início do meu programa na Williams, aceitei que tinha de dividir o carro com Valtteri por 15 sextas-feiras como parte de sua preparação para uma possível estreia em 2013”, afirmou.

 

“Foi extremamente satisfatório ser o pontuador mais regular da equipe e ter demonstrado meu ritmo em todas as 20 corridas. Aprendi muito e melhorei consideravelmente durante esta temporada. Tenho uma carreira relativamente curta e sinto como se estivesse evoluído muito em pouco tempo”, salientou Senna, que esteve entre os 10 primeiros na metade das etapas do ano.

 

“Tive alguns feitos notáveis neste ano, como a volta mais rápida no GP da Bélgica, minha pista favorita, marcar pontos regularmente e ganhar muitas posições durante as corridas. Regularmente correr no top 10 certamente foi um grande passo adiante e ajudou a melhorar minha maneira de correr. Trabalhar com um time de engenheiros competitivo e que me ajudou, como o da Williams, me deixou bem preparado para o próximo passo na carreira.”

Escrito por:

France Press