Publicado 27 de Novembro de 2012 - 23h05

Por Carlos Rodrigues

Além de criticar atitude de meia, o técnico Vilson Tadei frisa durante entrevista que jamais afirmou que havia um racha no elenco bugrino

Érica Dezonne/AAN

Além de criticar atitude de meia, o técnico Vilson Tadei frisa durante entrevista que jamais afirmou que havia um racha no elenco bugrino

Inconformado com as críticas que recebeu do meia Danilo Sacramento, o técnico Vilson Tadei teve seu “direito de resposta” nesta terça-feira (27/11). O comandante bugrino convocou uma entrevista coletiva e fez questão de frisar que, em nenhum momento, afirmou que haveria um racha no elenco do Guarani. Também teceu críticas ao que o jogador vinha apresentando dentro de campo.

“Eu nunca disse que o elenco estava rachado e vocês (jornalistas) têm gravado isso. Em nenhum momento vocês viram eu falar isso. Eu não aceito essas inverdades, por isso pedi o direito de resposta. Não pode ofender a minha pessoa, a minha moral e a minha função como treinador de futebol”, afirmou. “Penso que ele foi muito infeliz nas suas declarações. Os próprios jogadores que ele citou o desmentiram. Não havia necessidade alguma de ele falar aquilo. A única prerrogativa que eu tenho é de tirar e colocar um jogador a hora que eu bem entender. Eu não fiz nada para prejudicá-lo, até o preservei porque o momento não era bom”, completou.

A única coisa que foi dita pelo jogador e confirmada pelo técnico foi o fato de que ele não mostrava vídeos e não dava palestras. “Quando eu cheguei aqui, o time estava totalmente arrebentado psicologicamente. Os jogadores não aguentavam mais palestras e vídeos e eu tirei isso para dar tranquilidade para eles”, explicou, enfatizando sua forma de trabalhar. “Faço futebol com convicção. Não sou treinador omisso, que dá a bola e deixo treinar. Eu vou e ponho meu dedo mesmo.”

Tadei fez questão de ressaltar a queda de rendimento do meia, motivo pelo qual o fez ser sacado do time. “Ele tem que observar que, em todas as vezes que eu o coloquei para jogar, ele não correspondeu, andou em campo. Minha comissão estava vendo tudo e falava comigo após o jogo”, frisou o técnico, que fez um aviso a Danilo. “Acho que dei um alento à carreira dele. E, no ano que vem, ele terá que provar por que ele é tudo isso que está falando.”

Com respeito à sua permanência no cargo, Vilson Tadei, mais uma vez, disse que espera a decisão da diretoria. “Estou muito tranquilo. A diretoria vai definir o que ela pretende. Quero permanecer porque tenho história no Guarani. Todos os clubes que passei fiz bons trabalhos e no Guarani não foi diferente. Quero continuar porque aí vocês verão o meu trabalho desde o início”, ponderou. Sobre os rumores de que sua demissão já está definida, Tadei foi direto. "Essa informação não procede. Eu tenho contrato.”

Escrito por:

Carlos Rodrigues