Publicado 27 de Novembro de 2012 - 10h30

Por Agência Estado

A polícia italiana anunciou nesta terça-feira a prisão do jogador sérvio Almir Gegic na cidade de Cremona, por envolvimento em um escândalo de manipulação de resultados que atingiu o futebol do país. Gegic vinha sendo procurado desde junho do ano passado e decidiu se entregar esta semana.

 

"Os magistrados fizeram um grande trabalho. Eles revelaram todas as partidas manipuladas. Pelo menos às que eu estava envolvido", disse Gegic ao jornal Gazzetta dello Sport, em entrevista publicada nesta terça, antes de apontar que outro procurado pela polícia no caso, Hristyian Ilievski, também está próximo de se entregar. "Ele (Ilievski) está cansado como eu."

 

Gegic era considerado uma ligação entre apostadores na Ásia e jogadores na Itália, onde atuou de 1998 a 2000 pelo Vicenza. Ele foi levado à cidade de Cremona, onde o inquérito está acontecendo. Mais de 50 pessoas foram presas até o momento e mais de 100 ainda estão sob investigação. Mesmo assim, o jogador sérvio garantiu que existem muitos outros que estão longe de serem presos.

 

"É preciso ter muitos jogadores envolvidos para fazer isso. Se você tem alguém pronto para colocar 10 milhões na mesa por uma partida, não acha que vão fazer de tudo para ter certeza do resultado? A aposta no esporte é uma praga mundial. Não sei como poderia ser encerrada", afirmou.

 

Apesar de admitir ter feito parte do esquema, Gegic negou ser um "mafioso" e garantiu que nunca foi responsável por manipular o resultado de uma partida. "Eles me veem como um mafioso, mas eu nunca manipulei partidas pessoalmente ou ameacei alguém. Agora espero deixar tudo claro. Quero deixar este caso para trás."

 

O caso de Cremona, ao lado de inquéritos em Bari e Nápoles, resultou em múltiplas punições a clubes italianos nas últimas duas temporadas, além de prisões e sanções a jogadores e técnicos. O técnico da Juventus, Antonio Conte, por exemplo, foi suspenso por quatro meses, enquanto o ex-jogador da seleção nacional, Cristiano Doni, foi banido do futebol por cinco anos e meio.

Escrito por:

Agência Estado